No escuro


É na falta de luz que percebemos o quanto a escuridão nos ronda,
É na ausência da luz que percebemos nossas fraquezas,
É na escuridão que nossos olhos (e outros sentidos) nos enganam.

Caminhar no escuro,
seja de olhos vendados ou não,
é uma escolha
que, por muitas vezes, faz-se necessária.

Afinal de contas, 
ao final dessa caminhada,
nossa visão do mundo será outra:
talvez mais ampla que o normal,
ou mais obscura,
tudo vai depender de escolhas futuras
que, sem as quais, não definiríamos quem somos no escuro.

Ana Luiza Pereira

0 comentários:

Postar um comentário

Comenta, por favor!