Lost my prince


Num dia tão bonito, pela milionésima vez, eu faço burrada:
uma palavra qualquer, impulsionada não sei pelo o quê,
fez que você se afastasse.
E eu, ao longe, observava claramente 
seus olhos com raiva pelo o que disse
com um misto não de tristeza, mas de chateação.
Sua chateação criou uma distância bem mais do que a corporal
e, por mais que estivéssemos preocupados um com o outro,
ela se tornou uma barreira entre nós.
Barreira cuja tristeza me afetou
e, no silêncio da madrugada,
choro minhas mágoas pelas palavras que disse
e que me distanciaram de você.
Pedir desculpas pelo o que disse não trará você de volta,
nem piorar o meu já frágil estado de saúde,
então só me restou isso aqui e agora:
escrever com lágrimas nos olhos 
toda a falta que sinto de rir com você,
de estar com você,
de abraçar você...
E quanto mais passam esses dias dolorosos sem te ver,
quanto mais passam as horas e os minutos sem você,
mais eu crio um medo em mim,
mais eu percebo a triste verdade:
Estou perdendo meu príncipe.

Ana Luiza Pereira

1 comentários:

Victor Pires disse...

Você não está perdendo u-ú

Postar um comentário

Comenta, por favor!