Em excesso


Não dá. Eu não sou uma escritora de equilíbrio, mas de excessos. Só escrevo em excesso de mim mesma em alguma situação qualquer. Se penso demais sobre algo, escrevo. Se sinto demais algo, escrevo. Depende muito, mas posso virar escritora de foça ou de livro de auto-ajuda. É o meu estado de espírito que define o quanto escrevo e o que escrevo e é sempre em excesso de mim mesma. Até quando eu canso de mim, escrevo! Afinal, foi assim... Num excesso de mim que eu aprendi a escrever, estar sempre em contato com o papel e a caneta e o meu íntimo que, até hoje, não conheço direito. Vivo em excesso,sinto em excesso, até escrevo em excesso! Não sei escrever sem ser assim, é o que me define, é quem eu sou.

Ana Luiza Pereira

0 comentários:

Postar um comentário

Comenta, por favor!