Carta do novo eu




É hora de deixar o passado para trás.

Eu já me magoei muito com o passar dos anos e carrego muitas cicatrizes fechadas em meu corpo e minha alma. Seria mais com um Frankstein, mas não guardo mágoas, consigo viver, sorrir e sentir. Se não fosse por cada queda, cada dúvida, cada coisa que aconteceu, eu não conseguiria escrever nem a metade do que sinto e sou.

Sou bem mais do que a simples escritora, na verdade, escrevo apenas para extravasar aquilo que sinto e que me faz mal. Eu sou muito mais o que sinto, sorrisos e lágrimas, lembranças e atos, do que você possa ouvir falar de mim.

Fofocas, chacotas, balbúrdias... Não me interessa como você veio a saber de mim e "quem eu sou", na verdade, palavras não restituem o que sou, apenas restringem aquilo o que posso ser. Mesmo assim, agradeço. Pois, as pessoas não morrem enquanto são lembradas por pessoas, principalmente, por aquelas que querem difamar "quem eu sou".

Vocês podem ficar a vontade para conhecer a escritora que eu tento ser. Aceito críticas e sugestões nas minhas histórias. Mas poucos saberão quem é, verdadeiramente, aquela que ouviu falar.

Apenas um esclarecimento: Mudanças são necessárias com o tempo e a tenta nos amadurecer com cada segundo. Como eu disse acima: "É hora de deixar o passado para trás". Estou assumindo meu alter ego escritor, afinal, é uma boa parte quem sou e a parte que me fez amadurecer.

É assim quem sou, não importa meu nome ou qualquer outra coisa. O que importa é meu compromisso em enfrentar o futuro com a cabeça erguida, mudando e desejando ser o melhor que eu posso ser. Afinal, o que eu mais quero e desejo para o meu futuro é ser feliz.

Obrigada por sua atenção,

Um novo eu.

Ana Luiza Pereira

0 comentários:

Postar um comentário

Comenta, por favor!