As cartas da sua vida


Cartas. Uma forma de comunicação perdida nesses tempos modernos. Vejo que, quem se comunica via cartas, não é que seja ultrapassado, mas é porque sente tanto algo que quer eternizar numa tinta tomando forma de palavras no papel.

As folhas podem amarelar e até a tinta se perder com o tempo, mas uma coisa não se perde: os sentimentos. Sentimentos eternizados no papel marcam quaisquer um que ler. Sentimentos de almas perdidas, indecisas, apaixonadas... Sentimentos de almas que viveram e que vivem em nós.

Afinal, se somos humanos, somos capazes de sentir. E ter sentimentos é bem mais do que saber o que é raiva, paixão, torpor... Sentir é distinguido de uma máquina e, falar sobre o que sente é ser distinguido com um animal.

Às vezes, falar sobre o que sente é tão de difícil que recorrer as palavras na hora H do cara a cara não se resolve. Por isso cartas... Pois como as palavras, as cartas são tão fáceis de marcar, de se fazer chorar e rir como são tão fáceis de serem esquecidas ou perdidas. Assim é o ser humano e sua vida. Marcamos a vida de uns, rimos e choramos com muitos, mas muitos nos esquecem, muitos nos perdem de vista.

Não deixe as páginas das cartas da sua vida amarelar, viver é bem mais do que encontrar palavras sentimentais para escrever cartas num papel em branco. Não seja uma alma perdida, encontre seu sentimento e sinta-se a vontade para lutar por ele.

Ana Luiza Pereira

0 comentários:

Postar um comentário

Comenta, por favor!