Aedo do criador



Canta, ó Musa, os lavores do criador;
filho jônico de sua descendência que por séculos canta aedos heroicos.
Lembra-nos, filhas de Mnemosíne, 
os grandes feitos de seus lavores
que por séculos deixou-nos as histórias que contastes.

Cante, ó Erato amada, aos ouvidos desses tolos
os lavores dos criadores que eternizam as histórias.
Faça reconhecer, filha do magnânimo Zeus, o Crônida,
nesse tolo povo o verdadeiro reconhecimento dos poetas que hoje
habitam o palácio Olímpico junto aos deuses, enfeitando os céus de estrelas menores.

E a mim, poietés, o aedo pelos deuses desgraçado e por vós lembrado,
peço-vos que cante aos mortais, filhas da divina Memória, os lavores e penares
que este mortal passa ao cantar aedos esquecidos 
e por insolentes mortais rejeitado.
Zeus regozije em sua fúria àquele que não ouvir suas divinas filhas!

Ana Luiza Pereira

1 comentários:

L.S.F. disse...

Muito bom Ninha :) Só não entendi nada kkkkkk

Postar um comentário

Comenta, por favor!