Coisas que poucos sabem

Sabe quando algo súbito e inesperado te pega pelo calcanhar e revira todos os seus planos? Você quer chorar, mas não quer preocupar ninguém, então, abafa os gritos de choro com o travesseiro. Pois é... Ontem foi assim para mim. Chorei lágrimas que não foram vãs, pois elas me fizeram refletir:

Não temos uma "cota de lágrimas" para cada coisa ruim que acontecem, apenas choramos e paramos de chorar quando nos acostumamos com a dor.

Por mais que seja difícil superar qualquer que seja a dor, "ser feliz" é diferente de "estar feliz". "Ser feliz" também é chorar e sofrer, "estar feliz" é tão momentâneo e efêmero. Dá pena das pessoas que pensam que "ser feliz" é igual a "estar feliz". Elas não têm a consciência que, na vida, nada nos falta; sofrimentos, dores, sorrisos, felicidades, enfermidades, vícios, etc., mas cabe a nós transformar cada coisa num degrau para o nosso "ser feliz".

Por mais que hajam lágrimas que hão de escorrer pelos nossos olhos por diversos motivos, sejam de dor ou de felicidade, devemos saber que essas lágrimas nos renovam. Sem elas, nos sentiríamos presos e desconexos. E não se julgue por chorar demais, isso indica que és mais humano e tem mais coração que muitos que te rodeiam.

Poucos que estão lendo, aqui e agora, isso que escrevo já pararam para refletir do mesmo, senão, reflitam. Somos humanos, conhecemos a dor e, seja qual for seu sustentáculo nessa hora, suas lágrimas não são vãs, ao final delas, você sempre será outra pessoa.

Ana Luiza Pereira

0 comentários:

Postar um comentário

Comenta, por favor!