Chagado de amor



            Quando perguntares “Quem me ama?” e achares que a resposta é “Ninguém.”, saiba que há alguém sim.
            Meu amor transborda por ti, e não importa quem e como sejas; eu amo. Conheço você há tempos e, a maioria das vezes, você não lembra o meu nome. Você pode descrer que alguém é capaz de amar tanto, mas eu tenho marcas desse amor.
            Convido-te todo o dia a caminhar comigo nessa estrada cheia de pedras, quedas, pessoas boas e ruins, mas muitas das vezes você desiste com os flagelos da vida.
            E quando perguntares a mim: “Quem és tu que dizes que me amas tanto?”, eu respondo em alto e bom som: “Sou o Pai, o Filho e o Espírito Santo que habita em você e que você renega.
            Ouças a voz do teu coração porque agora que eu te direi: eu morro todos os dias por ti, porque te amo. E renasço a cada dia que dizes sim. Você não vê minha face, pois meu nome não é mais Jesus, mas você vê minha essência em sua família, em seus amigos e a todos os outros ao seu redor.
            Não tenho mais corpo, mas meu corpo já fora flagelado, já teve sua pele arrancada, já fora pregado, já fora quebrado, já fora flechado... E cada gota de sangue que caía de mim, eu só pensava em você.
            E não pense porque sou Filho de Deus Pai, nascido do Espírito Santo no ventre de uma mulher, que sou soberbo. Eu também caí, beijei o chão que pisava, lavei seus pés, fui traído por quem amei e confiei, mas perdoei. Perdoei a todos que junto com ele me humilhou, me pregou e me expôs na cruz.
             Carreguei durante um árduo caminho uma cruz imensa e pesada de pecados que não eram meus e, mesmo sendo Deus, tive ajuda em uma parte do caminho. Morri nesta cruz por cada pecado que tens cometido em atos, pensamentos, palavras e omissões. Venho morrido por isso há milênios. Minha aliança contigo é com este sangue que derramei para lavares sua alma, mas você insiste em se tornar impuro.
          Tu és meu irmão, então eu te amo e te respeito. Mas ainda quero que caminhes comigo e siga o meu Pai, o nosso Pai. Estou aqui no seu coração, batendo à sua porta, pedindo para cuidar de suas feridas com as minhas chagas de meu amor. Atenda esta porta, não caia e perca tudo o que eu te dei. És tão especial para mim que ainda vivo por ti e morro por ti. Siga-me! Cuidarei de você até o fim dos tempos.”

Ana Luiza Pereira

1 comentários:

Anônimo disse...

Certamente um dos textos mais profundos, não bíblico que eu li em alguns anos, talvez.

Postar um comentário

Comenta, por favor!