Quando algo sufoca...


                Sinto-me cansada. Hoje, só ouvi reclamação dos meus pais e, ultimamente, por mais que coisas boas também tenham acontecido, as más têm se sobressaído...
                É tanto problema que o superprotecionismo só tem me afetado. Ontem, admito que chorei e hoje estou chorando mais ainda...
                Não é porque eu sou (bastante) preguiçosa que ainda posso ser considerada criança. Não é porque eu não anuncio minhas decisões que ainda posso ser chamada de criança. Não é porque, às vezes, insisto em algo (até brigo por causa dele) que sou ainda uma criança. Sim, tenho corpo de mulher, mas minha mentalidade ainda é de adolescente. Eu fico presa em casa, saio sempre com as mesmas pessoas, é por isso que meus gostos são “anormais”. Como terei experiência de vida se mal me deixam voar para fora do ninho?
                Sinto uma vontade desesperadora de fugir desse ninho e dessa superproteção. Pode ser para o meu bem, mas me sufocar não é mais uma opção. Cada um tem seu jeito e seu tempo para crescer e amadurecer, andar pelas minhas pernas bambas é o meu, mas como faço se autorização não tenho?
                Estou cansada de estar presa nessa redoma, de ser uma boneca de porcelana e não fazer nada. “Deixe o passarinho avoar que uma hora ele volta para casa...”

Ana Luiza Pereira

0 comentários:

Postar um comentário

Comenta, por favor!