A carta da Rosa


  Querido Pequeno Príncipe,

Para quem é eternamente responsável por aquilo que cativas, sabe que procurar uma estrela especial entre uma imensidão de planetas e pessoas não é fácil. Mas para onde olho, vejo suas façanhas e seus novos amigos; o Rei absoluto que respeita seus subordinados, o homem vaidoso e narcisista, o beberrão sem razão, o contador avarento, o acendedor de lamparinas que trabalha incessantemente,  o velho sábio, outras rosas como eu, a raposa simpática... e, fatalmente, a cobra intereisseira.
Sei da sua preocupação quanto a mim, dos carneirinhos e bodes que quis por aqui para me proteger. Mas estou bem em meio as futuras raízes de baobá.
Sei que disse que és um tolo, mas estive errada. Tola sou eu de apenas me abrir para você no momento de sua partida. Sei que sou nariz em pé, mas eu realmente te amo meu pequeno grande garoto.
Ouvi das estrelas e dos pássaros que as rosas mais bonitas nascem fechadas para se abrirem com o tempo. Lembrei no exato momento de nós. Abro meu coração aqui para dizer novamente que te amo e amo seus cuidados. Seu nome é Príncipe porque reina em meu coração. E és pequeno para conseguir ocupar nele todo.
Volte, garoto! Sua aprendizagem está só no começo... És criança, vive e pensa como uma eterna criança inocente, por isso, aprende coisas que ninguém aprenderia. Mas sinto sua falta...
Escrevo essa carta para você, eterno Príncipe, para que volte para o seu asteroide e que comigo veja de novo o lindo pôr-do-sol.

Da sua,
Rosa.

Ana Luiza Pereira
Texto adaptado do livro O Pequeno Príncipe.


2 comentários:

Ser Jovem tem dessas coisas ... disse...

Recentemente li o livro e realmente alguém no universo teve o mesmo desejo que eu, sintetizar estes personagens e o quanto eles são reais!

Parabéns!!!! adorei a carta para o Príncipe, queria eu enviar também! estou te seguindo. Te convido para visitar meu blog!

continue escrevendo, seus textos são adoráveis!

Yalle Emery disse...

perfeito, sem mais.

Postar um comentário

Comenta, por favor!