Nossa história de amor

Era para ser apenas uma amizade comum; sem precedentes, mas você resolveu complicar tudo... Eu disse não, você não aceitou e continuou lutando.

Meu coração complicou as coisas quando vi que você era uma pessoas pura na carcaça de um alguém amargurado e sacana. Descobri isso com o Seiya...

Entretanto, ouvi meu cérebro e me entreguei às paixões. Você conheceu os meus mais perversos lados e mesmo assim você gostava de mim e me seguia. Querendo ou não, me preocupava com seus altos e baixos e me culpava com suas depressões.

Por mais que no primeiro ano eu tenha admitido, eu me assustei profundamente ao ler sua carta de despedida e descobri o tamanho monstro que eu posso ser machucando quem amo... Nunca quis ferir você. Sempre disse que você merece bem mais! Mas, de fato, admito que tive medo de te perder para sempre.

O tempo passa, as brincadeiras da turma se tornam mais pesadas. Por mais que eu fingisse não me importar, odiava te ver com raiva. A turma sempre quis nossa união de fato e não a lenga-lenga de "somos apenas amigos".

Até que você resolve encontrar alguém tão solitário quanto você para, então, você se sentir menos pior. Admito, tive muito ciúmes. Não gostava de saber que você estava pelos cantos com outras. Sempre gostei da atenção que você me dava e, por mais que a gente conversasse, meu orgulho é um milhão de vezes maior, o que torna uma "missão impossível" admitir ciúmes.

De repente, chegamos ao terceiro ano... Não sei quanto a você, mas eu o encaro como o último da minha vida. Portanto, deixei meu orgulho de lado e, finalmente, decidi me entregar... (Por mais que eu tivesse medo de te machucar novamente ou de te perder) Infelizmente, meus planos deram errado no princípio; você se comprometeu e eu me magoei por achar que, talvez, era para nunca sermos um casal. Você esteve do meu lado, por mais que eu estivesse apaixonada por outro, enquanto eu tentei fazer o mesmo quando você estava com outras, mas eu ainda sentia um ciúmes enorme. Mas, pouco tempo depois (talvez pelo meu olho gordo), você rompe e nós ficamos...

Sabe, eu sempre quis saber o que você viu em mim; eu sempre te machuquei (psicologica e fisicamente) e mesmo assim você estava do meu lado, fazia o que eu pedia e me fazia ter inveja dos seus talentos, por mais que eu criticasse ou risse.

Porém, sabe o que foi reconfortante saber? É que, caso a gente não passasse na prova do CTUR, seríamos ainda assim da mesma turma e NADA me tira da cabeça que eu estava destinada a encontrar este grande amigo e melhor namorado que você é.

Ana Luiza Pereira
Texto homenagem aos meus 3 meses de namoro com o Gabriel Porcino.

1 comentários:

Gabriel Hunter disse...

não vale me fazer chorar ^^

Postar um comentário

Comenta, por favor!