Confissões de uma menina perdida


Um dia percebi que a vida era bem mais que as paredes do meu quarto, e me assustei. Me isolei num mundo fantasioso, só meu e de ninguém mais. 

Não queria acreditar que atrás daquelas paredes tinha aventuras bem maiores e mais severas que a minha imaginação. Não queria ver que, na verdade, eu deixei de viver e virei escrava de meus medos. A verdade é que eu não quero crescer. 

Virei um Peter Pan com uma Terra Do Nunca mais acessível que a segunda estrela à direita, até o amanhecer. Até quando eu poderei viver nas minhas fantasias? A verdade é que eu tenho medo de responsabilidades. 

Eu sei que um dia eu terei que viver a vida além das muralhas enormes do meu quarto. Posso me assustar com a possibilidade, mas Peter Pan não morre, por mais que envelheça, e o que há em mim vai sempre me levar para as muralhas da Terra Do Nunca mais acessível que a segunda estrela à direita. Basta eu acreditar e me conformar em crescer.

Ana Luiza Pereira

0 comentários:

Postar um comentário

Comenta, por favor!