Pequenas coisas


E um dia vemos
Um lindo pôr-do-sol...

Terias, por fim,
Esperanças em vê-lo de novo?

Até que um dia
Mundo e afins nos envelhecem
Onomatopeias apenas é o que percebemos.

Graças a alguém voltamos
A perceber as pequenas coisas;
Boas lembranças temos,
Risadas...
Internamente percebemos
Esta agitação gostosa, até que vemos
Lentamente o amor.

Ana Luiza Pereira
Esse poema que não diz nada de ninguém, mas se refere a uma única pessoa é dedicado ao Gabriel Porcino pelo os dois meses de namoro.

Ode à amiga

Para uma amiga que há muito não vejo, faço tais declamações de amor.

Sou um carrapato,
Você minha vítima.
Na sua amizade estou hospedado
E o seu suor me ilumina.

Sou um palhaço,
Você minha plateia.
Não temos nervos de aço,
Por mais que a gente queira.

Eu sou doida,
Você minha psicóloga.
Por mais que por dentro esteja moída
Pra cima você me coloca.

Sou o pecado,
Você meu perdão.
Por mais que eu saiba que esteja errado,
Você nunca disse um não.

Do meu lado esteve,
Lágrimas já secaste,
Sorriso já manteve
esta amizade linda que perduraste.

Sei que não sou de todas a melhor pessoa
Embora aqui eu queira dizer
Que por mais que eu seja má contigo ou boa
Quero sempre no fundo te agradecer.

Obrigado por existir,
Obrigado por consolar,
Obrigado por compreender,
Obrigado por entender,
Obrigado por estar...
Apenas, obrigado amiga por estar aqui!

Ana Luiza Pereira
Em homenagem à minha amiga Caroline Cantilho que faz aniversário hoje.

Opinião religiosa

Eu não entendo esta sociedade nem isto tudo de "aceitar Jesus". Nasci numa família tradicional e devidamente católica apostólica romana, fiel aos dogmas e leis da igreja. Uns de seus membros saíram da vivência cristã por conta própria, outros apenas trocaram de religião.

Eu não ando com minhas próprias pernas ainda, sou ainda menor de idade, mas já tenho minha opinião formada sobre isso. Sim sou católica, sim frequento a igreja por obrigação, sim eu creio em Deus e Jesus, mas isso não faz de mim uma marionete da minha religião.

As pessoas de hoje pensam que a palavra "pregação" virou sinônimo de protestantismo, mas provou-os que estão errado, é sinônimo de cristianismo; não o católico, mas o de todo aquele que crê em Deus e/ou em Cristo, pois é este que disse em sua palavra na Bíblia: "Ide e pregai a todos os evangelho".

Pessoas pensam que se tornar discípulo e apóstolo de Deus é, algumas das vezes, ser totalmente inconveniente, falando Dele toda hora e fazendo até que certas pessoas se afastem... Não venho repudiar ninguém, mas enche muito o saco falar de religião sempre.

Sim; sou católica, posso não ir sempre à igreja, posso contestar certas leis e até não pregar sempre o evangelho ao meu próximo, mas ainda assim eu acredito. Não pregar não me faz ser menos cristã. Na verdade, eu acho que crer em alguma coisa, já faz dela uma religião, e humanos precisam crer para crescer e se descobrir. Isso varia para cada um...

Mas, por favor, seja você católico, protestante, macumbeiro, agnóstico, espírita ou ateu, entendam; conversão é um ato e uma escolha que demora uma vida inteira e, essa escolha, não faz dessa pessoa uma idiota ou motivo de ser escória ou algo do tipo. Conversão não é dizer um simples "sim", pois ele pode mudar para um não a qualquer momento. Conversão é crer, ter fé e vivenciar aquilo que se acredita.

Ana Luiza Pereira

Nova definição de amor (Verdades de uma garota apaixonada confusa)


Para as pessoas confusas, que às vezes gosta, em outras desgosta:
Vocês já viram o filme "Como se fosse a primeira vez"? Então pense que toda a vez que você desgosta da pessoa que você está fosse como o amanhecer da Drew Barrymore que não se lembra de nada, mas, mesmo assim, sua pessoa amada te lembra, sempre de forma diferente, te lembra o que você está sentindo, que é real. Quando, finalmente, você cai em si, está presa por estar caindo de amores. E, por mais que você goste do que esteja sentindo, você no fundo odeia, pois queria que tudo voltasse a ser normal, quando todos sabem que nunca mais será...

Ana Luiza Pereira

Make it play


Make it play;
Play the love songs,
Play the sad songs,
Play that dance songs...

Make it remember;
The laugh,
The smile,
The love,
The tear,

Make the you new world,
Where the happiness live,
Where there are no problems;
My escape of sorrows.

Keep calm,
Catch my headphones,
Press the play
And make my new world.

Ana Luiza Pereira

Play



Aperto o "seguinte" um milhão de vezes, até que, de repente, retrocedo e aperto o play.

Fecho os olhos e um mundo se forma na melodia da música, sinto meu coração bater segundo o ritmo e minhas emoções serem descritas nas palavras. 

Passeio entre os meus sentimentos confusos, não mais tão confusos, apenas expostos de maneira boba e simples. Vejo os frutos do amor na árvore da vida, as flores da esperança desabrochando, as serpentes do ódio, os espinhos da dor, o vírus da raiva... Não importa se a coisa é boa ou ruim, neste mundo que imagino, tudo é magnífico, simples e necessário. 

De olhos fechados, problemas não existem e você se entende, sem delongas, sem frescuras. 

Mas a playlist dá stop, hora de abrir os olhos. Vejo meus problemas, revejo minha confusão interna. Meu escape acabou, voltemos à realidade, até que eu decida apertar o play novamente...

Ana Luiza Pereira

Pontuação


Viver de reticências é viver por viver. Viver de vírgulas é viver temendo o fim. Viver de pontos finais é viver indiferente. Viver por interrogações é viver descobrindo. Viver por exclamações é viver sentindo. Você vive por qual ponto?

Ana Luiza Pereira

Bem vindos, visitantes!

Não sei o que dizer, então procuro ouvir. Mas ao invés de palavras sentimentais de pessoas que se sentem incompreendidas, ouço apenas onomatopeias. Hoje, por exemplo, disseram-me que a onomatopeia do rugido de um leão pode significar "eu te amo". RAWWRR para vocês, visitantes! :)

Ana  Luiza Pereira

Ver além



Eu vejo o que as pessoas não veem, eu enxergo além das coisas, quase o infinito... 

Não sei explicar, mas eu enxergo luzes. Luzes que a eletricidade faz e ilumina as noites; luzes que estão no céus mas quase ninguém presta atenção; luzes nas pessoas, em seus atos e como são... Algumas luzes são ofuscas, são necessárias pessoas de lunetas, telescópios ou binóculos para vê-las, outras luzes quase te cegam, são brilhantes e vívidas. Mas todas diferentes.

Eu realmente não sei explicar mas me refiro às pessoas à minha volta e o seu interior. Vivo a observá-las de binóculos imaginários e estudar suas luzes, ou como digo; estrelinhas internas. Posso estar perdendo meu tempo para alguns, mas aprendo bem mais do que a teoria impessoal imposta pela sociedade. É uma aprendizagem constante sim, mas que vale muita a pena viver com binóculos.

Ana Luiza Pereira

Realeza



Se eu fosse seguir os passos de alguém da realeza,
esta não teria coroa,
não teria trono,
não teria cetro,
não teria castelo...

Saberia comandar,
saberia amar,
saberia ouvir seus súditos,
saberia cuidar...

Reclamaria,
saberia se era mentira,
mas teria paciência caso não te desse atenção
ou te desse atenção demais...

Enfim,
poderia não ter jóias,
mas sua realeza está em seus atos de amor...
Não é necessário coroa para dizer que és minha rainha,
Te amo mãe!

Ana Luiza Pereira

Ele vs. Ela (X)

Ele: Um dia você disse que tem sorte de estar comigo... Hoje eu fiquei curioso em saber o porquê.
Ela: ...
Ele: Por favor, me diga!
Ela: É que você é confiável, fofo, cortes, romântico, amigo, leal, fiel... E eu sei que você morreria por mim se fosse preciso. Você é tudo e mais um pouco do príncipe encantado que pedia a Deus... Eu que tenho sorte, porque minhas preces que um dia fiz foram atendidas. Agora é a minha responsabilidade te cuidar e dar o devido valor aos seus atos, porque são eles que me fazem feliz. Afinal, com eles eu sei que você não é um sonho.
Ele: ...ownt! Quer casar comigo?

Ana Luiza Pereira

Espera

Era para ser sempre assim: nós dois sempre indo à janela, esperando um pelo outro, criando a esperança nas estrelas, para que um dia ficaremos juntos e felizes. Pois é… Eu ainda continuo na janela esperando por você, mas você, agora, espera não por mim…

Ana Luiza Pereira

Ele vs. Ela (IX)


Ele: Nossos corações estão batendo forte...
Ela: Eles não estão batendo forte, eles estão normais.
Ele: Não é o que parece...
Ela: É porque, com o cotidiano corrido, você nunca pára para ouvi-los, só quando está comigo.
Ele: E será para sempre...

Ana Luiza Pereira

Lástima da discórdia

Por mais que ninguém me ouça, por mais que ninguém acredite, digo ao mundo minhas lástimas, que a Deus e aos céus eu suplico.

Na vida me perdi
Mas nem sequer me encontrei
Apenas vi
As coisas que não guardei:

O amor que perdi,
As coisas que me arrependi,
O egoísta que fui
de não fazer o que pude...

Agora perdi
Tudo que amei,
Agora aprendi
A valorizar o que ganhei.

Destino, por Deus,
Oxalá, Lúcifer, Céus ou Zeus,
Traga de volta
Uma possibilidade remota
De ser feliz e fazer o bem
Ao lado da mulher que quer meu bem.

Ana Luiza Pereira

Olhares (escrito por Gabriel Porcino dos Santos)

Quanto mais eu ando por aí
mais eu procuro pelos seus olhos,
mas os que encontro,
não tem os teus olhares
e quando os encontro,
me reencontro perdido,
andando por aí.

Estou aqui,
procurando seus olhos,
desejando seus olhares
e te amando em cada detalhe.

Gabriel Porcino dos Santos

Confissões de uma menina perdida


Um dia percebi que a vida era bem mais que as paredes do meu quarto, e me assustei. Me isolei num mundo fantasioso, só meu e de ninguém mais. 

Não queria acreditar que atrás daquelas paredes tinha aventuras bem maiores e mais severas que a minha imaginação. Não queria ver que, na verdade, eu deixei de viver e virei escrava de meus medos. A verdade é que eu não quero crescer. 

Virei um Peter Pan com uma Terra Do Nunca mais acessível que a segunda estrela à direita, até o amanhecer. Até quando eu poderei viver nas minhas fantasias? A verdade é que eu tenho medo de responsabilidades. 

Eu sei que um dia eu terei que viver a vida além das muralhas enormes do meu quarto. Posso me assustar com a possibilidade, mas Peter Pan não morre, por mais que envelheça, e o que há em mim vai sempre me levar para as muralhas da Terra Do Nunca mais acessível que a segunda estrela à direita. Basta eu acreditar e me conformar em crescer.

Ana Luiza Pereira