Contradizendo-me...

Se mudei de uns anos para cá é porque decidi não ser hipócrita e mesquinha, embora certas vezes eu falhe nessa jornada. Nas minhas muitas falhas, estão as falhas hipócritas da vida amorosa.

Eu sei e admito que venho fugido disso a dois anos, mas hoje, que eu fiz acontecer, temo. Sim, temo. Não quero sofrer mais do que sofri nos últimos tempos, nem quero fazer pessoas especiais (uma, no caso) sofrer também.

Eu sei qual é o nome disso; medo de se relacionar. Mas quando se aprisiona um sentimento por dois anos e se nutre uma amizade, é difícil se relacionar sem o medo de levar a amizade que era tão fantástica por águas abaixo.

Sei que me contradigo já que meu lema é correr atrás de quem se ama e nunca desistir por isso, mas agora tudo se resume ao medo de perder o que há de mais fantástico em minha vida por ações minhas e emoções descontroladas...

Queria que Carlos Drummond de Andrade fosse ainda vivo para que o seu "José" me respondesse o que hei de fazer agora...

Ana Luiza Pereira

0 comentários:

Postar um comentário

Comenta, por favor!