Suposições

Seria bem mais fácil
se os corações de todos
batessem no mesmo ritmo,
se gostássemos
de quem gosta da gente,
se a vida não fosse um "e se",
"talvez", "depende"
ou eternas reticências...

Seria ótimo
se nossa mente
não vivesse em confusão,
se tivéssemos menos perguntas
e mais respostas,
se não vivêssemos na contra-mão...

Seria bem melhor viver
de imaginação,
dentro dela apenas,
o mundo seria, enfim, perfeito,
o coração não doeria...

Mas a vida é árdua,
impõe, é uma ditadora
na pele de uma professora
que briga com seus alunos.
Se tudo fosse como queremos,
o caos seria mais rápido,
e não descobriríamos quem somos
ou do que somos capazes.
Afinal, a vida é assim:
ela ensina,
mas quer que você descubra
o porquê do seu viver,
do seu querer
e quem é você.

Ana Luiza Pereira
Poesia ganhadora do concurso Novos Poetas da editora Vivara de 2012.

Em busca da plenitude

Eu queria saber das coisas, viver minha inteligência em plenitude, mas há falta de sabedoria nas pessoas.

As coisas tem ficado difíceis no mundo, e as pessoas nem sempre estão adeptas a mudanças bruscas, impedindo a vivência em plenitude da razão e da fé.

Quando se vive, se acredita. Quanto se acredita (seja em Deus ou não), há fé. Mas em quê? No dinheiro? Quantas pessoas no mundo tem fé no efêmero?

Eu tenho fé na vida. Ela é efêmera? É. Mas também uma grande professora e são em suas aprendizagens que me agarro.

Ana Luiza Pereira

Impaciência

Odeio ter que esperar, embora eu às vezes use da paciência de alguém nos meus poucos atrasos. Odeio também atrasos, já que não me é usual fazer isso.

A verdade é que eu odeio o tempo, pois ele passa rápido demais quando o que mais se quer é paralisá-lo e devagar demais quando o que mais ser quer é apressá-lo.

O tempo e suas complexidades podem até ser comparadas a uma mulher de TPM, pois as inconstâncias do tempo afetam e/ou ajudam as inconstâncias da vida.

Parei de filosofar por enquanto, já que minhas perguntas na verdade só serão respondidas pelo tempo de TPM.

Ana Luiza Pereira

Um dia

Um dia amei
E também fui amada.
Um dia chorei
Pela pessoa errada.

Um dia me contentei
Com apenas palavras
E não percebi
Que atos faltavam.

Um dia abandonei,
E hoje sou abandonada,
E também sofri
Pela pessoa errada.

Agora mudei,
Superei do nada.
De sofrer cansei
Pela pessoa errada.

Espero que leia
Essa cantiga rimada
Para que saiba
Que és a "pessoa errada".

Ana  Luiza Pereira
Poema feito no dia 20/12/2011

Contradizendo-me...

Se mudei de uns anos para cá é porque decidi não ser hipócrita e mesquinha, embora certas vezes eu falhe nessa jornada. Nas minhas muitas falhas, estão as falhas hipócritas da vida amorosa.

Eu sei e admito que venho fugido disso a dois anos, mas hoje, que eu fiz acontecer, temo. Sim, temo. Não quero sofrer mais do que sofri nos últimos tempos, nem quero fazer pessoas especiais (uma, no caso) sofrer também.

Eu sei qual é o nome disso; medo de se relacionar. Mas quando se aprisiona um sentimento por dois anos e se nutre uma amizade, é difícil se relacionar sem o medo de levar a amizade que era tão fantástica por águas abaixo.

Sei que me contradigo já que meu lema é correr atrás de quem se ama e nunca desistir por isso, mas agora tudo se resume ao medo de perder o que há de mais fantástico em minha vida por ações minhas e emoções descontroladas...

Queria que Carlos Drummond de Andrade fosse ainda vivo para que o seu "José" me respondesse o que hei de fazer agora...

Ana Luiza Pereira

Evito

Eu só busco o bem de quem amo, mas me incomodo quando é longe de mim. Mas eu evito; evito de chorar, evito de pensar. Afinal, é para a felicidade deles, certo? Então serei uma atriz Shakespeariana que, entre o ser ou não ser, prefere sofrer pelo o amor que preza pelos outros e não por si.

Ana Luiza Pereira

A nova Amélia


Rosto sereno, sorriso brincalhão, olhos fixos e sérios de felino, jeito bondoso, tranquilo e justo... Uma mulher que não vê o que é, apenas as pequenas coisas que tem. Dá valor à amizade, não quer dinheiro, apenas felicidade e ajudar.

Uma mulher perfeita que vê os outros como prioridade. Em seu dicionário, elogios não existem (não quando seu nome está na mesma oração).

- Eu não sou samba para ser Amélia. - dizia ela quando ouvia alguém dizer que era perfeita.

Não entendia que ela não precisava de ser samba, música, ter melodia ou se chamar Amélia para ser perfeita, pois ela já era! Ela era ela mesmo, mais ninguém, e em seu jeito precioso era digno de pérolas e diamantes.

Ainda assim, não entendia o porquê que era tão protegida, posta numa redoma de vidro por ser frágil e forte; controvérsias psicológicas o torna frágil, mas forte o bastante para suportar.

Melhor amiga, grande pensadora, pequena mulher. Muitos a taxaram de muitas coisas, mas a verdade era uma: perfeita.

Sua criança nunca há de crescer e ela sempre vai cuidar de todos. Podia não se chamar Amélia, mas, com certeza, era mais perfeita que ela.

Ana Luiza Pereira

"Amélia não tinha a menor vaidade / Amélia que era mulher de verdade." (Ai, que saudade da Amélia - Ataulfo Alves e Mário Lago)

Mulheres


Como é difícil ser mulher!
Nascemos gritando ao mundo
Para que ouça nosso nome
Somos criadas para sermos
Meigas, ouvintes e carinhosas
Sem descartar a personalidade que vem de nós

Como é difícil ser mulher!
Crescer num mundo que nos rotula
Num mundo que nos faz de frágeis,
Onde não somos as certas,
Num mundo onde devemos abaixar nossas cabeças.

Como é difícil ser mulher!
Crescer e lutar
Gritar para ser ouvida
Fazer do seu nome história
Seja essa a própria História ou a sua história.

Como é difícil ser mulher!
Sentir dores mensais
Ser mais resistente e forte que qualquer outro ser
Sentir a dor do parto
E dar a luz a um pequeno ser:
O futuro.

Como é difícil ser mulher!
Trabalhar fora e ser mãe...
Trabalhar em casa e ser mãe...
Tanto faz! É difícil...
Difícil criar um filho; dar-lhe comida, abrigo, segurança, educação
Sabendo da responsabilidade que aquele será o futuro cidadão

Como é difícil ser mulher!
Difícil ter um contrato de estar sempre linda,
Estar sempre certa,
Ser sempre amiga,
Ser sempre compreensiva,
Ser sempre mãe,
Ser sempre mulher.

Como é difícil ser mulher!
Ver um dia tudo em que se acreditou ir embora,
Até seus filhos...
Esperar para o dia que voltem
E sempre sendo acolhedora para sua chegada

Como é difícil ser mulher!
Ter uma vida longa e instável
Nos seus amores, nas suas lutas e nos seus hormônios
Numa sociedade que dita as regras de como é a perfeição
As mulheres conseguem ser mais que isso,
Elas são heroínas, lendas vivas
Mas não imortais.
Nem todos os nomes dessas mulheres fazem a História,
mas sempre deixam alguma história para contar!

Viva às mulheres!

Ana Luiza Pereira

Finalmente o fim

Finalmente cheguei ao fim.
Finalmente vi tudo o que a minha vida guardava para mim.
Finalmente... é o fim.

Finalmente não me rastejo.
Finalmente não me enganaram.
Finalmente é o fim...

Finalmente sem dor.
Finalmente sem medo.
Finalmente chegou o fim.

Finalmente eu vou.
Finalmente você partirá.
Finalmente, nosso fim.

Finalmente nossos medos se tornaram reais.
Finalmente acabaram-se as esperanças surreias.
Finalmente o nosso fim.

Finalmente o fim das lembranças boas.
Finalmente o fim das lembranças ruins.
Finalmente um fim.

Finalmente sem torturas.
Finalmente sem esperanças.
Finalmente o fim:

Adeus.

Ana Luiza Pereira

"É por isso que existem os amigos; para te mostrar o que você não consegue sentir..." (Kérisson Wermeson)

Embalagem


Pra que embalagens? Não busco aceitação da sociedade. Eu busco felicidade, isso a sociedade pode me dar sem julgar? Não. Então, prefiro ser quem sou, apesar da opinião dos outros. Não gosto de padrões, hipocrisia e mesquinhez. Apenas sou o que sou, em busca da minha felicidade.

Ana Luiza Pereira