Desabafo em versos

Odeio admitir
Mas odeio agir,
Impulsivamente,
Animalescamente.

Odeio odiar
E as coisas que posso fazer assim.
Prefiro amar
E cair nas desilusões sem fim.

Na boa vida,
Por que testar?
Já basta esta raiva contida
E essa minha vontade de brigar.

Já provei que sou forte,
por que testar mais?
Me fazer de boba da corte
E correr por algo fugaz

Mas parece que estou presa,
Acorrentada,
Por um amor aprisionada
E pelas ilusões arremessada.

Eita ciclo vicioso!
Mas agora sinto este ódio gostoso,
Não do fim,
Mas de alguém que não se decide, assim
Vivo,
Amando,
Chorando
E não me arrependendo...

Ana Luiza Pereira

0 comentários:

Postar um comentário

Comenta, por favor!