Palavras e o coração

Hoje eu acordei um pouco mais esperançosa. Não sei porque, mas meu coração esteve inquieto, ao mesmo tempo vazio. Palavras precisam ser ditas, mas quais delas? Perguntas precisam ser feitas, mas sei que muitas delas não teriam uma resposta simples.

Sem as palavras, não teríamos nomes. Mas ainda assim, teríamos sentimentos. Temos dado os nomes certos àquilo que sentimos? Muitas perguntas, poucas respostas. Mas uma se sobressai: indecisão. A culpa é dessa indecisão maldita? 

Não compreendemos o coração porque não há palavras exatas a ele. É sempre um misto. Misto de angústia, dor, amor, culpa, agonia... As pessoas se esquecem que para ouvir seu coração não é necessário palavras para descrever, apenas o silêncio para compreender. Ou ele bate, ou não bate. E, quando bater forte e alto, tenha certeza, para os outros aquilo não é certo, mas para você é o que te fará feliz.

É tão simples seguir o coração! Mas a racionalidade as vezes manda esquecer para não doer e sofrer mais. Portanto, fica a pergunta: entre cicatrizes, dores e histórias para contar ou medo, arrependimento e tristeza, qual que você prefere?

Ana Luiza Pereira

1 comentários:

L.S.F. disse...

Muito lindo. Sempre gostei dos seus textos, sou seu fã incondicionalmente, mas esse... Está muito lindo!

Postar um comentário

Comenta, por favor!