Trecho de Mulher no palco (escrito por Lya Luft)


Num fino traço
faço o perfil de ninguém.
Quem quer ser alguém
nessa vida sombria
parida com sangue e papel?
Mas no círculo que traço,
nariz, cinco dedos na ponta de um braço,
donzela esguia ou boneco engonço,
limito um novo ser: e me abraço
a mim, o poder de gerar um sinal
que instaure no nada o todo possível.

Quem faz de nós reis, deuses, réus
da nossa contradição?
No texto que faço
separo o nada do nada:
abro o espaço
da minha interrogação.

Lya Luft
Trecho do livro Mulher no Palco, escrito e m 1984.
(Imagem: Lya Luft)

0 comentários:

Postar um comentário

Comenta, por favor!