Ser criança...


Não se determina uma criança pela idade, muito menos pela maturidade e experiência. Há crianças que são mães, pais, avós, tias... Amadureceram porque a vida obrigou, mas não deixam de ser criança.
Não se julga um idoso pela idade e experiência. Idoso também é criança! Todos o somos. Podemos não ter idade o suficiente para jogar bola na lama, brincar de boneca ou lembrar os tempos de “escravos de Jó”, mas ainda continuamos crianças.
Podemos ter perdido a inocência pura e doce, a crença que tudo vai ser melhor no dia de amanhã porque o realismo nos obrigou, podemos ter parado de chupar dedo, mamar na mamadeira, fazer xixi na cama... Podemos até ter aumentado de tamanho e criado rugas, mas, ainda assim, continuamos crianças.
Não faz sentido não é? Pois, então, desvendarei o paradoxo que confunde sua cabeça, leitor: ser criança não é ser imaturo, não é brincar na rua, não é ser doce ou inocente; ser criança é ser feliz.
Ser criança é, de fato, sonhar e persistir no seu sonho, crendo que um dia ele será real até de fato o ser. Ser criança é sorrir, chorar, amar... Ser criança é ser você, sentir o que você sente e não se esquecer de agradecer a Deus por ter uma eterna criança dentro de você que não há tempo algum que poderá apagá-la.

Feliz Dia das Crianças!

Ana Luiza Pereira

1 comentários:

L.S.F. disse...

Lindo!!! Falou a mais pura verdade!! Viva a criança interior que cada um de nós carregamos!

Postar um comentário

Comenta, por favor!