Minhas palavras


Um emaranhado de escritos, é isto que sou. Um emaranhado de palavras ao vento que nem todos que quero que me ouçam, ouvem. Sou muitas palavras andantes modificadas pelo tempo, num nexo inexplicável que só a mente de um ser como eu possui. Sou um incomum comum, homem vivo que respira as palavras que mesmo diz. Sou uma lembrança de palavras ditas de alguém que tive afeto. Sou páginas envelhecidas com o tempo de palavras em busca de sua reciprocidade. Sou vivo, sou palavra, sou o vento que as leva, sou o livro que você lê, sou lembrança, sou simples: sou autor.

Ana Luiza Pereira

1 comentários:

Gio, Infinitivo Perpétuo. disse...

Ficou melhor que a minha, haha. Parabéns Ninha *-*

Postar um comentário

Comenta, por favor!