Magia das palavras não ditas


Estou perdida. Num emaranhado de escritos e palavras não ditas. A música melancólica eleva a melodia da depressão. 

É uma floresta, negra, sem fim. Um cubo mágico sem portas onde tudo é branco e o que não é - é insano. 

É nostalgia de palavras há muito esquecidas, palavras de afeto que hoje machucam feito espinhos de rosas. E as pétalas - lágrimas, emoção. 

Um estupor por nada acontecer me toma, a melancolia já passara como um raio ardente e me deixou lembranças. Agora, a paixão me visita. 

Palavras vistas e expressadas sem serem palavras me tomam. Cada um quer me contar algo mas não sabe de que forma. Uma sensação quase orgástica pela raiva expressada ao bater dos pés... Tudo era dito no silêncio, sem palavras descritas. Tudo era expressado da maior maneira por fotografias e lembranças, textos visíveis sem palavras. 

Era rico, era detalhado, era um teatro mágico de amores sem fim. Era duvidoso, lindo, um espetáculo de emoções e música. Era TUDO; atrizes, atores, autores, eram personagens vivos dizendo sem palavras, expressando, sentindo... Era mágico o que via. O que via era a dança.

Ana Luiza Pereira

1 comentários:

Anônimo disse...

Show ^^

Postar um comentário

Comenta, por favor!