Carta de desabafo


"Pessoa (você sabe quem),


Sabe? Nesses últimos dias venho me pegando em certos devaneios, quase sempre relacionados a você. Sinceramente, não venho gostado muito... Com eles vem o tremor de um frio inexistente, a lágrima de uma tristeza escondida e a lembrança de um sorriso falso. Todavia, após essa dramatização toda de uma saudade infinita de alguém que nem sei se lembra mais de mim, percebo uma coisa: tornei-me um pouco mais fria. 
O mundo nos impõe a frieza de coração, estou aderindo a ela não porque está sendo imposta, mas porque estou cansada de ser sempre abandonada por aqueles que eu mais amei e prezei... Será que eles não sabem o que é amar? Ou será que isso tudo é culpa da vida cruel que nos mata a cada dia desde que nascemos? 
“Você sempre foi madura e muito forte, é capaz de superar tudo sem pestanejar.” Sou mesmo? Convenhamos que chorar noites e noites pelo meu maior medo se tornar realidade não é uma ótima forma de superar algo. Muito menos, quando finge que está bem ao amanhecer, sorrindo alegre a todos que passam. É cansativo não demonstrar o que se sente sempre... 
Contudo, admito sentir-me vazia desde que tudo acabou. Boa parte de mim está com você, tem ciúmes você, se preocupa com você, briga com você... Faz tudo por você. Essa boa parte é o que mais venho sentido falta... Está difícil respirar e conseguir que os raios de sol iluminem minha tristeza e a transformem em alegria, está difícil não ouvir cada batida de meu coração sem lembrar sobre “concordium”, palavra que você me ensinara nos tempos de outrora, está difícil encarar o mundo sem aquele que me deu esperanças para o amor. Ah... Meu Deus! Como está difícil! Ainda assim, não desisto. 
Penso que o amanhã dirá o nosso futuro... Mas o fato é que estou tão desgostosa com tudo, que não acredito mais nem no que escrevo. Ainda assim, eu arranjo intrigas com você, queria realmente testá-lo, ver se me amas, se és capaz de mover a montanha a Maomé sendo que Maomé está demasiado cansado por se mover à montanha. Mas nem sempre vejo isso... Apenas vejo um arrependimento falho de tudo o que fizera em seus olhos pedintes, mas já é tarde demais... Embora eu aceite o seu perdão, esteja com você sempre, você não pode secar cada lágrima que me fez derramar nesse último período. 
Às vezes parece que eu me acho em cada música românica, melosa, melancólica, até nas depressivas. Posto onde quer que for para que você saiba o que sinto, o que penso, o que quero. Às vezes, me dá um ódio mortal de você, queria te bater, torturar e matar, mas só posso palavras, status, subnicks, coisas que nem sempre consigo dizer na cara. Às vezes quero o troco, às vezes só te quero bem, às vezes só quero conversar, às vezes... Oscilo cada instante, você estando ou não. E, quando finalmente, meu peito se enche de esperança com o seu “oi”, lembramos sempre do descaso, do medo, dos ciúmes, brigamos, choramos... E ainda assim, eu não te ignoro. 
Cheguei até a conclusão: prefiro muito mais ser presa na gaiola do amor do que ser realmente livre para muitas paixões. Você diz que sou humano, mereço a liberdade. Mas eu me considero uma cachorra vira-lata: fiel, dócil, protetora e sempre, sempre, é mandada embora por alguns donos hostis. Eu realmente preferia estar com você a inventar minha liberdade e ser a inconsequente que se arrependerá de maior parte depois. 
Sei que não funciona nada, às vezes eu acho que nem desistindo de te conhecer funcionará, mas eu só queria não ser dependente de você. Não estar sempre prezando pelo seu bem-estar e sorriso, não te amar tanto a ponto de ter acessos de obsessão. Pois é... Às vezes eu só queria morrer e pedir que o meu coração fosse enviado via correio aquele que o pertence realmente: você. Mas como não posso, tenho a coragem de todo dia dormir desejando morrer e acordar tendo que lutar, ainda não desisti, lembra? Talvez, nunca irei. 
P.S.: Não acredite em tudo o que digo, às vezes, eu só quero é te testar.



Aquela que ainda se culpa por te amar demais."




Ana Luiza Pereira

4 comentários:

Drycka Karol disse...

Nossa que lindo , quase chorei '-' ... É vc mesmo ue cria todos esses textos???? É cada m mais perfeito que o outro ;

A.L.P. disse...

Sim, sou eu que crio os textos, quando não crio, deixo o nome do autor :)
Obg!

Anônimo disse...

queria dizer isso tudo para o meu marido as vezes mais falta corajem

kirigaya kodaka disse...

linda

Postar um comentário

Comenta, por favor!