O sonho do seu retorno


Andando para a saída e apertando a pilha de livros contra peito, eu não enxergava mais nada, tudo estava sem foco. Seria por acaso a chuva que caía e ensopava minhas roupas? Não, mas as lágrimas que estavam para cair sobre meu rosto.

"Ele me deixou...", era tudo o que pensava desde a minha aula de história. "Ele disse adeus e nunca mais vai voltar..."

Entrei no carro e desabei. Não aguentava mais engolir o choro entalado em minha garganta! Tinha de haver um jeito de amenizar a dor que comprimia meu peito! Fui para casa.

Ainda chorava com o som ligado a tocar as nossas músicas quando avistei a figura esguia e perfeita para à porta da minha casa.

Rosas na mão, olheiras de uma longa noite sem sono, olhos de culpado.Uma raiva súbita tomou conta de mim ao descer do carro, mas as gotas geladas da chuva de inverno as amenizou.

Antes mesmo que eu pudesse te xingar, você me pediu desculpas por tudo que fizeste a mim e disse que estava com saudades.

Mantive minha feição de emburrada apesar do meu interior estar abalado por somente estar em sua presença. Você me ofereceu as rosas e num som doce de culpa disse que me amava, sempre me amou e sempre me amará.

Meu sangue começou a ferver por debaixo da minha pele enquanto você me envolvia em seus braços e me entorpecia com seu beijo.

Por que você me deixou  mesmo? Não lembrava e nem me importava. "Meu Deus! Ele está de volta e em meus braços!", é o que a tola pensou enquanto te beijei.

Mas, de repente, eu acordo. Foi só um sonho... Mais um dentre os quais tive quando você partiu.

Faz um mês, um longo mês de luto, um mês em que você foi embora para ser feliz com outra. Vejo seu sorriso em suas fotos... Por mais que eu seja só uma amiga agora; dói não tê-lo aqui.

"Ele me deixou...", é o que venho pensado desde antes daquela aula de história, dia no qual você me disse adeus. Este pensamento me atormenta! Ainda não caiu a ficha que fostes embora...

"É mesmo para sempre?", perguntava enquanto novas lágrimas banhavam meu rosto. "Eu ainda não estou disposta a te dizer adeus... Eu ainda estou disposta a te esperar.", confirmava minhas promessas em pensamentos.

Queria tanto que os sonhos fossem reais!... Eu queria tanto... Mas não há nada que eu possa fazer para te trazer de volta. Viver é foda, morrer é difícil e não convém com as promessas que jurei cumprir.

Mas, por mais que os meses sejam longos e difíceis sem você, ainda estou aqui; sempre a sonhar com o esperado retorno do meu amor.

Ana Luiza Pereira

0 comentários:

Postar um comentário

Comenta, por favor!