Conversando sobre sofrer...


Por que temos que sofrer? Na teoria, o amor nos traz um encadeado de alegrias. Mas por que na prática ele não é? Por que não podemos apenas morrer, sair deste mundo e acabar com o sofrimento? Por quê?
Sofremos para aprender a cair e se levantar de queixo erguido através da dor, sofremos para sermos felizes e para conseguirmos rir desse sofrimento depois, sofremos porque convém ao ser humano errar, sofremos porque somos crianças e não sabemos o que queremos!
Não seria mais fácil apenas cometer o suicídio? Por que temos que ser covardes? Por que não conseguimos encarar nossos problemas de frente? E por que o sofrimento amoroso persegue as pessoas? E o que é o amor? Se no papel ele é um sentimento lindo, por que não o é na prática? E porque nós, seres humanos, gostamos tanto de errar?
Suicídio é ser covarde, é mostrar que você não teve cabeça o suficiente para pensar e superar o que a vida lhe propôs. Suicídio não resolve os seus problemas, só você saberá resolvê-los. Suicídio é apelo! Qualquer sofrimento persegue qualquer pessoa.
O amor não foi feito para que soframos com ele, mas para que aprendamos o que ele tem a nos ensinar. Amor de verdade não se tem sofrimentos desnecessários. Amor de verdade não é erro! Humanos erram, mas erram porque é o nosso defeito. Nascemos assim, imperfeitos! E agimos como se fossemos perfeitos quando não somos! Este é o nosso maior erro: não sermos humildes, não sabemos ouvir os ensinamentos da vida. E é por isso que sofremos.
Covardia é ter medo da morte, é não encará-la como nossa amiga real. Errar pode até ser humano, mas então eu sou mais humano que todos, pois só de ter nascido já foi um erro!
Nascer é um erro que todos nós cometemos... Por mais que a morte seja nossa amiga, recorrer a ela em momentos de vida e desespero é loucura. Ela não enterrará o que você sente muito menos apagará seus erros e seus problemas! Ela trará dor a quem te ama e você estará sendo hipócrita e egoísta ao deitar nos braços dela.
Aí que esta o problema: ninguém me ama!
Errado! Esqueces que sou sua amiga e amigos também amam e se importam!
Dois ou três no universo de bilhões... Grande número de amigos que eu tenho! Realmente eu sou uma pessoa muito legal!
Pode haver mais que você não sabe e nem se importa em saber agindo dessa forma estúpida! Além do mais, você tem amigos, por mais que sejam poucos; esses são verdadeiros.
Eu sempre tento ajudar todos, mas na minha hora, muitos preferem fugir.
Eu estou aqui oras! Fugi? Não! Então não generalize! Você faz sofrer quem te ama e quem se importa contigo só por causa de suas indecisões! Só por causa da sua tristeza! Vejo que se esqueces de quem se importa com você... Na verdade, todos na dor se esquecem! Não se acabe com esta dor, todos nós temos força para continuar... Sempre há novas esperanças! Cadê as suas?
Perderam-se pelo caminho... "Estar machucado,/ sentir-se perdido,/ estar abandonado na escuridão,/ ser chutado,/ quando você está pra baixo,/ se sentir como se estivesse sendo evitado,/ estar na beira do precipício pronto para se jogar.../ Não você não sabe como é.../ BEM-VINDO À MINHA VIDA!" (Welcome to my life – Simple Plan)
Errado, sei muito bem o que é ser chutada, viver no escuro e sem esperanças, viver tentando se jogar do precipício por vezes mas sempre tendo alguém para te puxar e abandonar na beira desse. Eu sei o que é estar machucada, sangrar, estar à beira da morte e voltar a viver, sofrer por amor... Eu sei o que é estar no fundo do poço! Eu sei por que já morei lá... E não recomendo a ninguém passar pelo o que eu passei. E é por isso que eu me entristeço quando vejo alguém que eu me importo descendo para minha antiga morada, mesmo quando eu tento (falhamente) trazê-lo e permanecer na superfície junto comigo.
Não desista de viver... Não desista de você! Há mais coisas que você poderá fazer na superfície do que no fundo do poço. Não definhe, não caía e não se jogue. Fique comigo! Juro nunca te abandonar e sempre te lembrar o que é felicidade.

Ana Luiza Pereira & Luan Figueiredo

0 comentários:

Postar um comentário

Comenta, por favor!