Exorcismo


Ela era só uma garota normal, perfeita é o que uns diziam. Estudiosa e muito religiosa, como a tradição de sua família pregava. Doce, gentil, espirituosa, solidária, era uma garota certinha...
Pena que os olhos humanos não veem os corações dos mesmos. O dela estava destroçado, morto, triste... A fé? Meu caro, não se engane pelas aparências! Ela era uma garota de pouca fé. Carregava o lindo crucifixo de prata junto ao peito como tradição e não por fé.
Foi por ter pouca fé que tudo mudou. A doce e gentil menina se rebelara. Não ia mais à igreja aos domingos, xingava, maltratava os outros e a si mesma. Enclausurava-se dentro do seu quarto às vezes e não saia mais. Às vezes, também, mutilava-se, cortando mais e mais sua pele e sua carne.
Seus pais se horrorizavam com o que ela fazia consigo mesma, cogitavam a hipótese da loucura! Homens de pouca fé...  Por que os homens de hoje em dia não enxergam de acordo com as obras designadas de Deus? Tudo são homens de pouquíssima fé...
Num raro momento de lucidez desta pobre alma infantil, ela estava entre amigos numa velha livraria e abrira um livro que não chamaria a atenção pela sua capa. Ele era velho, páginas amareladas com o tempo, manuscrito de tinteiro e pena e com muitas palavras estranhas segundo a época que vivemos.
Eram estas:

Deus, patrono et Jesu Christi, I nomine tuo da mihi virtutem exorcismus.

Exorcizamus te, omnis immundus spiritus, omnis satanica potestas, omnis incursio infernalis adversarii, omnis legio, omnis congregatio et secta diabolica, in nomine et virtute Domini Nostri Jesu Christi, eradicare et effugare a Dei Ecclesia, ab animabus ad imaginem Dei conditis ac pretioso divini Agni sanguine redemptis. 

Imperat tibi sacramentum Crucis, omniumque christianæ fidei Mysteriorum virtus. Imperat tibi excelsa Dei Genitrix Virgo Maria, quæ superbissimum caput tuum a primo instanti immaculatæ suæ conceptionis in sua humilitate contrivit. Imperat tibi fides sanctorum Apostolorum Petri et Pauli, et ceterorum Apostoloru . Imperat tibi Martyrum sanguis, ac pia Sanctorum et Sanctarum omnium intercessio.

Ela começou a ficar com a visão turva. Não controlava mais seus movimentos, apenas algo dizia para continuar lendo. Ouvia gritos e ranger de dentes. Ela via o sofrimento no inferno ao mesmo tempo em que lia as palavras em língua morta. Seu crucifixo de prata queimava por debaixo da sua blusa, perto dos seus seios e marcava a sua pele mutilada.
Ela estava suspensa entre dois mundos: o inferno, na qual sua alma foi roubada, e a Terra, onde lia aquelas palavras em latim presentes um diário antigo de um padre legionário de Roma. Sua voz se engrossava, as faces dos outros se deformavam diante de seus olhos. Aquelas palavras se tornavam familiares aos seus ouvidos e seu entendimento, mas, internamente, uma batalha de vida ou morte se travava. Continuou:

Humiliare sub potenti manu Dei; contremisce et effuge, invocato a nobis sancto et terribili nomine Jesu, quem inferi tremunt, cui Virtutes cælorum et Potestates et Dominationes subjectæ sunt; quem Cherubim et Seraphim indefessis vocibus laudant, dicentes: Sanctus, Sanctus, Sanctus Dominus Deus Sabaoth.

Todos os presentes ali fitavam a pobre garotinha antes sem fé. Seu contorcionismo não planejado, sua voz de outro mundo, seus olhos se revirando até sua face mudando.
Contudo, o que eles não viram, foi o espírito demoníaco que dominara a pobre garotinha sem fé em um momento frágil de sua vida e, a tola, em busca da fortaleza, abrira as portas para que o demônio entrasse e não mais saísse. E, naquela hora, tal espírito estava saindo e vagando novamente pela Terra.
Mas, o que poucos ainda sabem, é que não são as relíquias que espantam o mal, mas sim a fé daqueles que carregam. Você não precisa carregar crucifixos junto ao peito se sua fé é uma chama grande e acesa. Será esta chama que irá te satisfazer, crucifixos é para lembrar que existe esta chama dentro de você e que você precisa sempre alimentá-la, sempre mantê-la acesa segundo as normas de Deus proposta na Sagrada Bíblia.
Não se exiba como um homem de fé como os fariseus; sejais humildes, pois são os humildes que é feito o Reino dos Céus. Humildes são grandes homens na fé e espanta qualquer mal por apenas acreditarem no bem.
Pobre garotinha antes sem fé! Aprendera a acreditar em Deus quando este marcara sua fé e seu destino em sua pele.

Ana Luiza Pereira

0 comentários:

Postar um comentário

Comenta, por favor!