Carta à mais doce noite


“Minha querida noite,

Como é bom ser coberto por ti... Como é bom afagar-me minhas mágoas em seus finos e doces lençóis brilhantes que és teu céu. Como é bom ser acariciado pelo seu árduo frio. Como é bom admirá-la em sua grandeza e magnitude. Como é bom estar presente e envolto no seu manto de trevas. Como é bom ser acariciado pela sua realeza dourada demonstrada em pequenos pingos estelares. Como é bom... Como é bom estar diante de sua presteza e poder nela fazer de você meu confessionário; aos mais frios segredos e quentes momentos de minha inútil vida.
Ó, minha querida esposa noite, não me deixais de lado. Lembre-te deste inútil verme humano que precisas de tua companhia ao se deitar e chorar no velho travesseiro, que necessita dos seus conselhos enquanto dorme, que adormece com suas carícias, que não vive sem sua presença... Quando durmo em sua presença, não é porque eu não a ame, mas porque quero levá-la aos mais doces sonhos.
Ó minha esposa noite, você em sua magnitude e realeza, amplitude e nobreza, tente não esquecer-te de mim, de nossos planos melancólicos e psicóticos, de meu amor por ti.

Agradeço incessantemente por ser agraciado com sua beleza,

Seu admirador e confidente.”

Ana Luiza Pereira

2 comentários:

Wyllian Torres disse...

~.Ual! Lindo, amei! Essa paixão pela noite... Essa companhia por magrugda a dentro, rs. Excelênte texto, Ninha. ;D

Wyllian Torres disse...

~. Correção:] ao comentário a cima: *MADRUGADA

Postar um comentário

Comenta, por favor!