Para o meu deleite...


Para o meu deleite; fico a admirar este exemplo de clemência e obediência.
Para o meu deleite; fico a ver a raiva definhar tais corpos pútridos e esgarçar suas mentes cheias de ressentimento.
Para o meu deleite; fico a assistir o quanto o amor nos torna idiotas, marionetes desprezíveis de pessoas que nem sempre nos merecem.
Para o meu deleite; fico a sentir tal dor a transformar meu ser em verme asqueroso e nojento cheio de rancor.
Para o meu deleite; fico a ver a vida destroçar momentos perfeitos de felicidades plenas onde pessoas criam fantasias e falsas memórias.
Para o meu deleite; vejo o “achismo” mover o mundo com suas questões enquanto verdades se tornam crenças fundamentadas em fantasias e relíquias.
Para o meu deleite; assisto pessoas enlouquecerem dizendo que, se só os loucos conseguem amar de fato, preferem mais a loucura que a nossa lucidez.
Para o meu deleite; admiro a mudança das pessoas, uns buscando máscaras enquanto outros tentam expressar melhor a forma de serem elas mesmas.
Para o meu deleite; vejo a falsidade nas palavras ao vento, aos gestos de tratamento buscando sempre status e fofoca enquanto pessoas procuram sinceridade e amor.
Para o meu deleite; assisto o tempo virar uma eternidade na espera do que se ama.
Para o meu deleite...
Para o meu deleite; a vida fica a seguir seu rumo pacato, bucólico e tedioso, basta as pessoas escolherem se querem fazer dessa vida um pouco mais feliz.

Ana Luiza Pereira


Carta à mais doce noite


“Minha querida noite,

Como é bom ser coberto por ti... Como é bom afagar-me minhas mágoas em seus finos e doces lençóis brilhantes que és teu céu. Como é bom ser acariciado pelo seu árduo frio. Como é bom admirá-la em sua grandeza e magnitude. Como é bom estar presente e envolto no seu manto de trevas. Como é bom ser acariciado pela sua realeza dourada demonstrada em pequenos pingos estelares. Como é bom... Como é bom estar diante de sua presteza e poder nela fazer de você meu confessionário; aos mais frios segredos e quentes momentos de minha inútil vida.
Ó, minha querida esposa noite, não me deixais de lado. Lembre-te deste inútil verme humano que precisas de tua companhia ao se deitar e chorar no velho travesseiro, que necessita dos seus conselhos enquanto dorme, que adormece com suas carícias, que não vive sem sua presença... Quando durmo em sua presença, não é porque eu não a ame, mas porque quero levá-la aos mais doces sonhos.
Ó minha esposa noite, você em sua magnitude e realeza, amplitude e nobreza, tente não esquecer-te de mim, de nossos planos melancólicos e psicóticos, de meu amor por ti.

Agradeço incessantemente por ser agraciado com sua beleza,

Seu admirador e confidente.”

Ana Luiza Pereira

Nothing


Não há nada a dizer. Na verdade, não sei nem por que escrevo! Se bem que; se eu não tenho o que dizer, obviamente, não terei assunto para a minha escrita.
Na verdade, ultimamente só sinto duas coisas: o nada e o pior que o nada. Eu sinto o vazio e nada de sentimentos. Meu sorriso pode transparecer felicidade, minhas lágrimas tristeza, meu rosto serenidade e meus olhos amor, porém, eu não sinto nada. O vazio me toma em vários momentos do meu dia pacato.
Mas há o paradoxo do pior que o nada; sinto-me completamente feliz ou triste em determinados momentos do meu dia. E, por quê? Porque as palavras transformam meu dia; palavras que ouço, palavras que digo... Às vezes, tais palavras ordinárias soam tão doce como mel ou tão frias quanto um cadáver.
Não sei o que sentir e como sentir, principalmente classificar o nada e o pior que o nada como bom ou ruim, certo ou errado. Na verdade, classificações não são exatas, eu posso muito bem me enganar... Portanto, deixarei a vida me levar, é o melhor que eu posso fazer para esquecer minhas mágoas e preencher tal vazio.

Ana Luiza Pereira


O seu calor


Posso não ser fã do frio, mas até que me acostumaria ao que ele pode me proporcionar. Não, não falo de romantismo, mas sim, do seu calor corporal.
Imagine: dois corpos atrofiados por um frio intenso, juntos, grudados, enroscados num nó, brincando entre si e esquentando um ao outro; sem a ajuda de cobertores, edredons ou aquecedores.
Pois é... Este corpo a esquentar e seduzir o meu é o seu.
Num quarto pequeno, trancado e acariciado pelo frio, nós nos aquecemos enquanto a noite nos guarda estas lembranças prazerosas. Prazer... Coisa que conheci muito bem nestas noites... Noites de frio “quente”, pois só o frio me fez sentir a quentura de seu corpo quando, sob meu, vinha me dominar por inteira.
Nós. Somente nós, entre as quatro paredes que cercam o teu quarto, afagávamos nossa paixão em meio ao frio intenso deste inverno que nos cerca.
E, quando o sol nos despertar em meio ao frio de nosso dia, eu poderei estar usando a sua blusa da noite anterior... Ou, até melhor, o “nada” que você me pediu.

Ana Luiza Pereira

Em carne viva


Novamente, o choro. A dor novamente irradia sob meu peito, rasga a minha pele e domina minha mente. As lágrimas salgadas caem diante de minha pele ferida e arde de acordo com o que tem que ser.
Eu não faço escolhas complicadas, apenas deixo a vida me mostrar o que é “melhor”, ela me mostrou você. Mas você é realmente o melhor? Sim; foi o melhor em me arrancar sorrisos e fantasias, mas também para fazer da minha vida um drama e me arrancar lágrimas, depressões e noites a fio.
Posso estar viva, mas minha mente já morreu no instante que dei um passo a frente com essa loucura! Eu estou desgostosa e sem qualquer esperança. Estou me enclausurando novamente na jaula de minha solidão. E, por quê? Por que você me tirou quem eu mais amei e confiei.
Eu estou em carne viva, me martirizando por ter confiado na pessoa errada, por ter sido um pouco “feliz” com ela, por tê-la amado incondicionalmente e sido fiel até a minha confiança ser estraçalhada e partida a mil pedaços.
Tento comprimir a dor em meu peito enquanto me encolho no chão do meu quarto, mas a cada lágrima que escorre a dor aumenta, a cada piscar de olhos me lembra desta história que me atormenta. Olho-me no espelho e não vejo a mim, vejo nossas lembranças e seu sorriso. Você não sai da minha cabeça e suas promessas falsas também não.
Será que finalmente estou eu enlouquecendo? Será que finalmente eu terei coragem de partir sem dizer adeus? Não... Eu sei que não.
Por mais que esteja morta, esta carcaça se revolta contra você. Não pelo o que você fez, mas pela falsidade de suas palavras. Sinceridade sempre? É essa sinceridade que tens a me oferecer? Me fazer chorar, me bater, não dormir e me odiar?
Hipócrita! É isso que és: um hipócrita! Dizias que farias algo para sempre amenizar minha dor, mas, ao fundo, a fez aumentar... És pior que um hipócrita! Apontaste o dedo para meu antigo amor por me fazer sofrer e chorar, mas, ao menos, ele era mais sincero que ti; eu sabia que com ele eu não teria nada, me iludia com ele por pura vontade, embora ele deixasse claro que era só desejo e não amor. Você esqueceu que quando se aponta um dedo a alguém, apontam-se três a si próprio...
Porém, eu fui tola por me deixar levar e enganar assim, por deixar rasgar meu couro, estraçalhar meu coração e alma. Sou uma completa idiota por ter sido deixar enganada e deixado você arregaçar com esta carne pútrida e decadente.
Não sei mais o que fazer, dizer, quem sou ou o que sou. Eu estava mudando por você, você havia me dado coragem a isto, mas agora, o que era bom se tornou pior.
Parabéns por ter despertado a minha pior face! Parabéns mesmo! Tomara que você não se arrependa por ter feito de mim, o monstro que sou agora.
Afogo-me nas lágrimas que, por mais que doam ter encostado na minha pele, são elas as minhas melhores amigas agora...

Ana Luiza Pereira


Vingança


Duas amigas, um ódio.
Elas não tinham nada contra aquele estado, nada mesmo. Mas ele pisou nos seus calos... Ele não! ELAS! As que moram naquele estado podre e medíocre que pisaram nos seus calos e, agora, a raiva cresceu de modo tão grande que virou ódio.
E, este ódio, explodiu em seus peitos e incendiou um desejo...
Qual? A mais pura e linda: VINGANÇA.

Ana Luiza Pereira

Essa seria a introdução de uma ótima história de ÓDIO feita por Ana Luiza Pereira e Gabriela de Oliveira Rocha. Bem, seria... Mas o destino não quis assim.

Frases avulsas


“Trair quem confia em você não te torna homem; apenas faz de você um idiota.”

Ana Luiza Pereira

“Não há pessoas melhores no mundo em quem você possa confiar: Deus e você mesmo.”

Ana Luiza Pereira

“Sua mãe não roga pragas, ela apenas te conta verdades além da sua visão de alcance.”

Ana Luiza Pereira

“Não machuque a quem ama com seus atos, ela não teria a coragem de machucar você.”

Ana Luiza Pereira

“Promessas são feitas para serem cumpridas, até mesmo antes de tê-las dito.”

Ana Luiza Pereira

“Posso ter amado você incondicionalmente, mas não sei se há condições para o nosso amor agora.”

Ana Luiza Pereira

“Você poderia ser imperfeito aos outros, mas era perfeito a mim... Mas, seu erro só me fez lembrar quem és realmente: humano.”

Ana Luiza Pereira

“Você pode construir muralhas ao seu castelo, mas, por mais que você queira que seja resistente, ele é feito de areia e desmorona a cada onda forte e maré alta.”

Ana Luiza Pereira

“Eu prefiro deixar as ondas me abateres, pois, por mais que doa, nada é mais doloroso do que a dor de não te ter.”

Ana Luiza Pereira

“Na vida, nada é às mil maravilhas e ela prova isso todos os dias, mas nós cismamos em nos iludir com a nossa paixão.”

Ana Luiza Pereira


Disposta a morrer


Eu senti: o rio do abandono eriçar meus pêlos, o gosto salgado das lágrimas ao secarem sob meu rosto cansado, o tremor do medo sob a noite que "perdi" você... Eu estava disposta a morrer a te esperar, mas, agora, não sei se quero novamente deixar a ilusão me ferir. Diga "adeus" a senhorita boazinha, a idiota que você matou, e dê um "olá" a senhorita revoltada, sua nova companheira.

Ana Luiza Pereira

Diamante Chamado "Confiança"


Por que todos em que confio cismam em brincar comigo? Qual é o prazer que eles sentem em quebrar este diamante que lhe dou chamado “confiança” e me fazer sofrer e chorar? Por favor, alguém me responda! Ou minha mente é fraca e pequena demais para compreender tais respostas?
Eu confiei em você. Contei todos os meus segredos mais secretos e sem distinção. Enquanto você me traía, feria-me aos poucos sem que eu soubesse. Talvez minha mãe esteja certa; escolher você foi um erro, você será uma decepção. Você me feriu, partiu o maior presente que pude dar a você: meu amor e confiança.
Agora, eu pergunto: o que você ganhou em troca? Ver minhas lágrimas caírem na sua frente? Obrigada; é só isso que tenho a lhe dizer. Obrigada por me lembrar de quão salgadas são as lágrimas no auge de minha felicidade.
Não choro porque você é assim ou assado, mas porque você me traiu! E o sentimento de traição é o pior que existe... Pensei até que nunca mais iria senti-lo novamente... Doce ilusão!
Eu devia era pedir troco. Troco pelo o que você fez comigo enquanto a tola que vos fala jurava total fidelidade nos brados campos verdejantes de onde estuda. Mas eu sou um verme sem valor a você, lembra? Um verme sem um pingo de coragem para pensar em fazer isso com quem mais ama. IDIOTA – é isso que sou.
Queres fazer um favor? Quer me contar mais algum segredo que por um acaso “esquecera”? Contudo, não se esqueça que estais em débito com meu coração, pode não haver mais "uma próxima vez" a ele... E, JAMAIS, se esqueça das promessas que o título de “namorado” lhe traz quando se ganha.
Se aguentares ou não a pressão, de qualquer forma; obrigada.

Ana Luiza Pereira

"Eu só queria era ser feliz... Mas com você ao meu lado. Será que é pedir demais?"
"Eu sempre te perdoarei sob qualquer circunstância."

Masquerade


Nada melhor que um baile de máscaras! Mas não precisamos do baile para ver as máscaras... Por quê? Ora, vejamos... Num baile, você vê rostos de papel desfilando, pessoas se escondendo do mundo...
Mas não precisamos de máscaras de papel... Já somos mascarados sempre! Somos diferentes, de fato. Rostos de diferentes tonalidades em diferentes formas caminhando à nossa sombra do espelho. Olhe ao redor! Nem todo sorriso é verdadeiro, nem todo olho tem brilho e cor, nem todos gostam de roxo, nem todos são bobos ou rei, diabo ou anjo, rainha ou padre...
São rostos! Rostos mascarados! Mascarados por algum sentimento, algo maior e talvez incompreensível para quem vê de fora.
Mas, essa, é a sua vez Mascarado! Dê uma volta no carrossel da vida, dentro desta corrida desumana, e deixe sua máscara cair... Quero ver quem você é, se tens ou não aquilo que te define homem: caráter.
Olho dourado? Roupa azul? O verdadeiro é falso quando se usa máscaras. Quem é quem? Sabes responder? Lábios carnudos, vestidos rodados ou cara de palhaço?
Diga-me o que procura... Mas eu só vejo rostos! Rostos mascarados bebendo o que tinham para beber até se afogarem na própria angústia que anseiam pela ressaca.
Mascarado; sorriso amarelo dissimulado; escolha o espetáculo da vida (o qual você conhece muito bem) e deixe isso maravilhar você.
Mascarados; olhares intensos ao meu lado! Mascarados! Sombras em ebulição nas suas mentiras sussurradas. Mascarados; vão e engane a todos, até os amigos que mais te conhecem. Mascarados; sátiros e sorrateiros com indagantes olhos.
Mascarado; por mais que você tente correr e se esconder, sempre um rosto te perseguirá...

Ana Luiza Pereira

Inspirado em Masquerade do filme O Fantasma da Ópera.

Primeiros meses - Acontecimentos...


Sinceramente, os fins dos meus dias passavam-se mais rápido, também, mais prazerosos.
Aos poucos, comecei a ser “conselheira amorosa” de Kaique. Sim, ele tinha paixão... Uma garota do mesmo estado que ele, porém, do interior. Tentei até conversar com ela; não gostei. O santo não bateu... Principalmente porque ela sempre mandava indiretas nos tweets. (Não gosto de indiretas, prefiro que falem na cara).
Enfim, por mais que algo em mim gritasse dizendo que ele era especial e que eu sentia um certo “ciúmes” do jeito que ele falava dela, mas, eu mesma não podia proibi-lo de amar. Eu mesma tinha muitos problemas amorosos a resolver... A começar dos meus. Eu estava gostando de um garoto da minha turma, Kaique sabia das minhas investidas e tudo mais. Mas, logo, tive minha decepção; esse garoto mudou e virou a coisa que mais odeio: narcisista.
Tirando isso, ainda tinha minha antiga paixão que ia e voltava. Ele se aproveitava desses meus momentos de carência (momentos que eu estou frágil) para se aproximar de novo de mim, me dar esperanças e logo desaparecer com tudo para, depois, voltar com a mesma ladainha e a idiota aqui aceitá-lo novamente de braços abertos.
É impressionante! Parece que ele tem uma espécie de relógio interno para desaparecer e reaparecer. Minha raiva dele vem de suas arte-manhas sujas e baratas (e sempre as mesmas) que, ao final, fazia me sentir um verme pútrido e sem valor, deixando-me com má fama e envergonhada de mim mesma. E, eu não entrava em muitos detalhes dessa paixão com Kaique, apenas com amigas de escola e melhores amigas.
Mas deixemos meus desamores de lado e voltemos aos meus problemas reais... Logo eu tinha que encarar meu pior pesadelo e, como eu havia ficado com nota baixa no primeiro bimestre, tinha que ralar muito para consegui me recuperar e não ir de recuperação de meio de ano.
Meu pesadelo: prova de física.
Vou contar uma coisa; prova de física me atormentava de tal modo que eu pedi ajuda para tudo e todos que estavam na minha frente, até que, Kaique se dispôs a me ajudar. É, ensino à distância pelo microfone no MSN! Mas foi até que legal fazer isso...
Ok; vou confessar logo: eu aceitei mais por duas razões; assim eu não saía da net e teria um pretexto para minha mãe para que eu pudesse ficar ouvindo a voz dele. Porque de resto... EU NÃO ENTENDI NADA DA MATÉRIA! Kaique, por fazer um técnico que exige muita física, ele era técnico demais. Enquanto eu, burra, boiava na matéria!!! Mas, falando sério, eu “caguei e andei” para física e deixei para lá. (Mas até que eu tirei nota boa, não sei como!)
De qualquer modo, para o Kaique as coisas não iam muito bem... Ele se declarou a menina e ela, tosca, o rejeitou. Na verdade, ela foi mais baixa, usou suas amigas para rejeitá-lo. Ele, por ser um ‘estouradinho’, se revoltou. Ele é um tipo de sociopata canceriano... Quer matar todo mundo só nos momentos de raiva, nada que um momento de paz não contorne esse pensamento... Enfim, ele ficou mal e eu, como sempre, fiquei triste por ver uma pessoa que gosto tanto mal. Tentei, então, por meu jeito palhaça em prática e fazê-lo rir. Funcionou, como sempre...
Até que chegou agosto, o mês do desgosto para mim. Nesse mês eu me afundei e me perdi na minha antiga paixão que me manipulava para perdições. Acabou que eu fiquei mais envergonhada do que ficava e, como sempre, meu jeito de transpor tudo que sinto; escrevi. Tentei escrever uma forma que não transparecesse que era eu, mas, no fundo, todos que liam sabia que era. Kaique, que já seguia meu blog e lia meus textos, ficou preocupado. Eu, como sempre, desconversei com a desculpa esfarrapada de que era o que aconteceu com uma amiga. Ele, por fim, engoliu.
Mas, logo, na escola e no twitter a brincadeira o casal @Ninha_GP e @kaique_boga já dava o que falar... A tag promovida pelo Wyllian – #ciumesvirtual – crescia a cada dia. E, não é que eles (o pessoal do twitter quanto meus amigos da escola) achavam que rolava algo entre a gente? Nós só éramos amigos... E, como prova, Kaique puxou conversa com Wyllian e levou a tag na brincadeira. (Até hoje Kaique adora o Wyllian)
E, quanto mais dias passavam, mais nós ansiávamos para nos encontrar novamente online e ouvir sua voz... Até que o destino brincou com a gente.

Ana Luiza Pereira


P5hng Me A*wy (Pushing me away)



Eu sei... Eu errei. Mas não sabia que remeteria tais consequências; não sabia que este erro a faria chorar e a nos separar.
Agora, vendo seus olhos cheios de lágrimas (os olhos que tanto admirei), não vejo nada além do meu erro se voltar contra mim e minha culpa me atormentar...
Eu sei; eu menti para você. Eu menti do mesmo jeito que faço e fiz esses anos todos. Eu prometo; este é o último sorriso que dou quando estiver do seu lado.
Tudo se quebra, nosso relacionamento se quebrou... Ele era um cristal e agora está a mil pedaços. Até as pessoas que nunca se cansam, às vezes, ficam esgotadas. Tudo tem que terminar, logo você achará que não terá tempo ou estará cansada demais para ver o desenrolar desta história...
Eu fico aqui, sempre fiquei, mas agora você se afasta. Não importa o que você veja, eu sei; você ainda está cega para mim. Mas eu tentei, como você, fazer tudo o que você queria, agora eu prometo: esta é a última vez que eu levo a culpa por estar com você.
É um sacrifício se esconder atrás de mentiras, mesmo quando as mentiras são aquelas que ferem alguém que você ama e se importa. E eu sei; este sacrifício nunca será reconhecido...
Miserável psicologia reversa falha, é tão duro ser deixado sozinho. Dizer que você é minha única chance de mudar não muda esta situação. Não me sobrou nada além de virar e encarar você chorando...
A culpa me atormenta e me toma, ela me pergunta: Por quê? E não sei responder... Em voz falha eu tento responder a única coisa que me convém: É um sacrifício se esconder atrás de mentiras e este sacrifício não será reconhecido...
Enquanto eu fitar seu rosto choroso em minha memória, só queria mesmo é ter te pedido desculpas. Sinto muito pelo erro que cometi. Mas, agora, desculpas não me convêm, apenas a dor da culpa e da solidão. Elas me puxam para o escuro e me repelem para longe de você.


Ana Luiza Pereira


Inspirada em P5hng Me A*wy (álbum Reanimation) da banda Linkin Park.

Viagem a dois


Queria tanto pegar um carro qualquer e fazer uma viagem a dois... Só eu e você, juntos, rumo ao nosso desconhecido.
Queria tanto que nesta viagem, as noites fossem sem fim. O céu estrelado a cobrir-nos de fantasias e sorrisos, dedicações e declarações.
Quero muito que nossa estrada não tenha fim, que ela seja repleta de paisagens bonitas e românticas e que nenhum obstáculo abata nosso carango velho a andar pelas estradas.
Não queria que esta viagem tivesse parada, mas, às vezes, elas são necessárias. Pois, assim, manterá a privacidade de cada um e não desgastará o que há de melhor em nossa estrada; o amor.
Quero muito, muito mesmo, poder fugir com você, dormir e acordar com você do meu lado. Não me importo com o “desconfortável”, pois meu conforto é dizer eu te amo todos os dias e te ver sorrir e adormecer.
Quero muito fazer desta viagem realidade, mas o destino me obriga a viajar apenas com a imaginação... Você quer me acompanhar? Duvido se arrepender...

Ana Luiza Pereira


Primeiras semanas - Nos conhecendo...


Não sei como ou porque, mas sempre consegui inspirar confiança nos outros, mesmo sendo tão insegura de mim mesma. Foi assim com todos, e foi assim com ele...
Na primeira semana que nós passamos; foram só nos conhecendo e conhecendo... Assim, trocamos MSN e Orkut e ele começou a me contar histórias dele na escola dele ou do prédio onde ele mora e eu um pouco das minhas. Mas as minhas não são tão interessantes e engraçadas quanto às histórias dele...
Logo, sabia de muitos segredos dele e ele poucos dos meus. Conversamos por microfone e a voz dele... Não sei explicar. Apenas achei sua voz linda! E, a cada dia eu o achava menos estranho, porém estranhava a mim: sempre ansiosa para ouvir sua voz de novo.
E o que me deixava mais indignada é que quando eu não o via online ou ouvia, ficava a perambular pela casa tentando suprir sua falta com alguma conversa desnecessária com amigas enquanto ele estava a fazer judô.
Vou admitir; ele era interessante... Tudo bem, o achei estranho na foto, mas ele era interessante, tinha um bom papo, me fazia sentir bem, tinha uma voz linda e ainda por cima se mostrava ser um cavalheiro. Eu estava sonhando? Com certeza eu havia delirado em alguma parte entre o tempo de adicioná-lo no MSN e ouvir a sua voz. Só podia! Eu fiquei estranha perto dele... Esquecia totalmente dos meus desafetos e perdia-me no tempo.
Ele parecia também ter gostado de mim, mas acho que não era da mesma forma. Afinal, eu sou uma louca varrida! (Ao menos, minhas amigas me chamam assim...)
E, todo o dia seguinte, eu chegava com um sorriso no rosto e falava dele aos meus amigos. Wyllian era um dos principais. Eu brincava (ainda brinco) dizendo que ele é meu maridinho e ele via nossas conversas no twitter. Mas sempre sorria, quando via que eu ficava de bom humor ao lembrar-me dele, apesar dos "ciúmes"!
Letícia, Letícia e Polly achavam normal eu conversar com alguém de longe (sim! Ele mora longe de mim) nas redes sociais, só achavam loucura a minha ansiedade e meu sorriso.
Acabou que passei nem ligar mais. Levava tudo na brincadeira... Ainda assim, minha ansiedade de encontrá-lo online e conversar com ele aumentava ainda mais...

Ana Luiza Pereira


1º dia - Quando nos conhecemos...



Lembro-me muito de quando o conheci. Foi uma época negra, nada feliz. Eu não era eu, me deixava me entregar pelo o desejo da paixão ao homem errado que sempre me fazia sofrer.
Mas, também, me lembro exatamente do dia que o conheci...
9 de Julho – aniversário da minha mãe. Eu posso ser uma pessoa sorridente e comunicativa, mas em festas, eu não sou tão sociável.
Por isso mesmo, essa (como todas as outras festas daqui de casa – exceto a minha) se resumia a uma palavra: computador.
Nesta época, também, eu havia descoberto o twitter graças a minha irmã. E, como sempre, fiquei responsável de criar o meu e aprender a mexer para, depois, ensinar a ela... (acabou que até hoje ela não sabe).
Acabou que me viciei no twitter rapidinho. Sabia de todas as notícias que queria e, ao mesmo tempo, expunha minha opinião e críticas. Mas naquele dia, justo naquele dia, meu dia estava no tédio.
Tentei pesquisar vídeos da minha banda predileta no youtube. Cheguei até a compartilhar no twitter e, graças ao fã clube dessa banda que retwittou o link do vídeo, é que eu o conheci.
O engraçado é que naquele dia que eu descobri o que é mention (é quando pessoas que você segue ou não usam seu username para dizer algo de você ou contigo).
E eu o vi bem no topo daquela página. Foto: ele em evento de anime com cosplays da banda predileta dele. Admito; só comecei a conversar com ele por que eu vi que ele gostava de anime e da mesma banda que eu!, porque a foto... (deixa esse comentário pra depois, ok?)
Enfim, nosso assunto foi: música. Nosso gosto musical era bem parecido... Indicávamos músicas de bandas e EPs um ao outro.
E, ao fim do dia (ou seja, da nossa hora de ficar no computador), eu perguntei: “entra amanhã?”. Ta. Vou confessar: NUNCA PERGUNTEI ISSO A NINGUÉM DE PRIMEIRA! (Fake não conta!) E não sei o que deu em mim para perguntar isso a alguém que mal conheci! Acho que é por que eu gostei de conversar com ele... Não sei...
Só sei que a ansiedade me pegou e que eu realmente adorei conversar com ele. Então, eu só imaginei o como seria o “dia seguinte” com meu novo amigo(?) @kaique_boga...

Ana Luiza Pereira


Proteção ou egoísmo?


Desculpe-me, mas, mais uma vez, o destino me faz chorar. Sou fraca e prometi a você não derramar lágrimas, porém, esta mistura de indignação com tristeza me abateu (de novo).
Motivo: incompreensão.
Tudo bem, as pessoas não conseguem compreender o amor. Mas por que elas não aceitam? Apenas nos julgam e criticam, nos chamam de loucos e dizem que traremos decepções a nós mesmos. Mas, E DAÍ? Amor é deixar se levar por uma loucura; de sensações, de momentos, de palavras e de sentimentos. E NÃO IMPORTA QUEM SEJA (ou onde esteja), você apenas quer amá-lo e seu coração começa a sentir necessidade disso.
Por que as pessoas insistem em nos separar, sendo que, felizes seremos quando juntos? Por quê? Por mais que dizem que não combinamos ou que iremos nos machucar, por que não nos deixam arriscar? Não é tentando/errando que se aprende? Então, por que as pessoas não deixam a gente aprender com os próprios erros? Proteção? Ou egoísmo? Eles nos amam e querem realmente o nosso bem? Então, por que não nos deixam em paz?
Desculpe-me meu amor. Eu sei que prometi sorrir a você, porém, não vejo motivo para sorrir quando não sei se verei seu sorriso de novo.

Ana Luiza Pereira


Mike Shinoda has a dream... (tradução)


                        Olá de novo Linkin Park!

            Sei que vocês não leram minha em homenagem aos 10 anos de Hybrid Theory, mas não desistirei... Além do mais, essa carta não é em homenagem à sua carreira, mas aquele que a idealizou: Michael Kenji Shinoda, o tão conhecido Mike Shinoda ou Akira.
            Mike, como toda a criança, teve o sonho de ser um artista. Porém, ele lutou pelo o seu sonho; não se abateu com a vida, é por isso que nunca desistiu, pode até ter se frustrado, mas sempre continuou até que conseguiu. Ninguém poderia dizer que ele não avisara, ele sempre disse o que desejava... Não é à toa que Bradford Philipe Delson aderiu essa ideia no colegial.
            Eu aposto tudo o que tenho que muitas pessoas desacreditaram no sonho do Linkin Park, disseram que era utopia, o desmotivavam. Mas um verdadeiro guerreiro, como o Samurai Shinoda, nunca desiste de seus sonhos, mesmo que ele tenha conseguido efetuá-lo depois da faculdade de Design (antes tarde do que nunca).
            Mas, cá entre nós, a faculdade de Design serviu bem para o Mike e o Joe, e muito. As capas do Hybrid Theory e Reanimation são as mais lindas e bem desenhadas que eu já vi. Fora o clipe de Breaking the habit feito pelo Joe... Muito legal! Só de lembrar me dá vontade de ver.
            Mike Shinoda não virou só um componente de uma bandinha, mas sim, um ícone. Engraçado, extrovertido; sempre faz alguma palhaçada seja dentro do estúdio ou fora dele. Compõe e produz as melhores músicas da minha vida (e dos outros fãs também). Canta muito bem... O melhor rapper que eu já vi é o Mike! Não há como existir o Linkin Park sem o Mike!
            Sem contar Fort Minor; Styles of Beyond com Mike Shinoda… FOI UM MÁXIMO! Eu aprendi street dance dançando Remember The Name.
Mike, neste dia 11 de fevereiro, seu aniversário, eu, como todos os outros fãs do mundo inteiro, te desejamos os parabéns, muitas felicidades e muitos anos de vida! Afinal, o que seriam de nossas vidas sem Linkin Park? O que seríamos de nós sem você como o exemplo de perseverança?
Obrigada Mike! Por existir, cantar e encantar minha vida. Obrigada por deixá-la cada vez mais feliz sempre que ouço suas músicas nos rádios, TVs ou CDs. Simplesmente, obrigada.

Ana Luiza Pereira


Esta é a minha singela homenagem ao Mike Shinoda pelos seus 34 anos. Mais informações&homenagens no site: http://happybdaymikeshinoda.tumblr.com/

Mike Shinoda has a dream...


Hello again, Linkin Park!

            I know you haven’t read my tribute at 10 years of Hybrid Theory, but I won’t give up. Anyway, this letter isn’t a tribute for your career, but for who idealized it: Michael Kenji Shinoda, the well-Known Mike Shinoda or Akira.
             Mike, like any child, had a dream of being an artist. But, he fought for his dream; didn’t get down with life, never give up may even have been frustrated, but ever continue until he succeeded... Nobody can say he don’t warned, he ever said what he wanted. No wonder that Bradford Philipe Delson joined this idea on high school.
             I bet everything I have that many people decried the dream of Linkin Park, said it’s was just utopia. But a true warrior, as the Samurai Shinoda, never gave up of his dreams, even though he was able do it after  Design school (better late than never).
             But between us, the Design school served well for Mike and Joe, a lot. The covers of Hybrid Theory and Reanimation are the most beautiful and well designed I've ever seen. Breaking the habit, the clip mad by Joe was very cool! Just to remember I want to see it again.
             Mike Shinoda not only become a component of a little band, but an icon. Funny, outgoing, always makes a joke either inside or outside the studio… Writes and produces the best songs of my life (and also other fans). Sing very well... The best rapper I ever seen is Mike! There is no Linkin Park without Mike!
             Not counting Fort Minor; Styles of Beyond with Mike Shinoda… IT WAS A MAXIMUM! I learned street dance dancing Remember The Name.
            Mike, in this february 11, your birthday, I, like the fans around the world,whish you congratulation, best wishes and many years of life! After all, what would our life without Linkin Park? What would we do whitout you as the example of perseverence?

Thank you Mike! For exist, sing and enchant my life. Thank you for leaving it increasingly happy whenever I hear their music on radios, TVs or CDs. Simply, thank you.

Ana Luiza Pereira


"This is not the end, this is not the beginning / Just a voice like a riot rocking every revision / But you listen to the tone and the violent rhythm.." [Linkin Park - Waiting for the end]

Prazer&Sexo


Eu o encontrei assim; do nada. E agora estou aqui; perante ele, sentido seu toque eriçar cada pêlo do meu corpo que está ardendo de desejo pelo seu.
Não importa o quanto de tempo que nos conhecemos, eu só quero e preciso sentir sua boca na minha, morder lábios e gemer baixinho na sua orelha.
Eu criei tal necessidade de ver sua pele esquentando a minha entre as noites gélidas e o cobertor cobrindo nossos corpos nus e minha mão deslizando sobre suas curvas perfeitas. O lapidar da chama de nossa paixão virando labaredas em meio ao nosso sexo.
Tudo em você é perfeito e, sua perfeição, me traz prazer e me embriaga, entorpece e encanta cada vez mais... Quero sempre te servir, seja no que for; principalmente no sexo.
Com você, a noite parece não ter fim e meu prazer não cessar. E, tomara, que esta sensação realmente seja eterna...

Ana Luiza Pereira


Forest


Era só mais um passeio colegial entre matas e florestas... Porém, ela não aceitou o seu destino sombrio. Ela o rejeitou e o abnegou. Ela se apavorou com as criaturas da floresta... Ela os ouvia dizer coisas... As verdades que ela mesma nunca entendeu. Mas, a cada passo que dava, seu medo crescia e mais vultos ela via ao ser redor.
Ela fugiu... corria sem rumo entre as árvores negras e a névoa densa da floresta. Galhos se partiam diante de seus pés, folhas secas caíam em sua cabeça, mas ela apenas corria, corria para o mais longe daquela voz macabra que lhe dizia:
“Ande comigo, minha pequena criança. Fale comigo, minha pequena obsessão. Ande comigo até esta floresta virar pó. Conduza esta lenda em meio ao outono que se forma, você verá as consequências...”
Ela corria e se perdia a cada passo que dava. Ela não via quem fazia aquela voz só via vultos de animais, ao seu redor e se apavorava cada vez mais...
“Você não sabe, nem ao menos vê; você é a minha criança, filha desta floresta. Você não entende por que este verde é a sua obsessão muito menos o porquê que você é a obsessão deste verde... Conte a todos que esta voz é você, pois EU SOU VOCÊ e leve esta minha promessa até o seu fim.”
Mal ela sabia que todos já a procuravam entre as árvores da floresta, todos gritavam pelo seu nome, mas ela não ouvia... Mas todos ouviam a voz:
“Ande comigo meus pequenos amigos. Andem até fazerem desta floresta um deserto. Conduzem a lenda da voz da floresta entre este outono que se forma... Senão, vocês verão as consequências.”
Quanto mais a floresta os advertia, mas eles se apavoravam. Uns voltaram, enquanto outros continuaram a procurá-la mais e mais rápidos.
Ela se perdia ainda mais enquanto a floresta lhe dizia novamente:
“Leve esta promessa para um passeio, você viu o que tem numa floresta quando se adentra. Você conduziu esta lenda para o outono que se forma. Você viu a consequência de não se acreditar: poluições, destruições... Eu, que sempre fui o equilíbrio ecológico deste planeta, estou virando pó e desertos. Nenhuma televisão no ar diz o que realmente acontece neste planeta, não consigo mais trazer o ar puro que vocês respiravam. Vocês fizeram armas e guerras e olhem só para nós! Somos cinzas, frutos de sua guerra desnecessária!”
Logo suas pupilas focalizaram sua amiga e, assim, ela pôde ir para civilização e espalhar a lenda do “Socorro da Floresta”. Quem ouviu, não acreditou. Mas logo viram as consequências da falta da Mãe Natureza entre a gente.
E, assim, ela não foi mais tachada de louca como antigamente...

Ana Luiza Pereira


Inspirada na música Forest do System of a down.

Testemunho


Eu nem sempre fui assim. Na verdade, me lembro muito bem de quando eu não era assim. Sim, eu já fui feliz, já estive bem e já pude ser eu mesma não importando as consequências. Mas isso foi graças a uma pessoa que me ensinou o que é viver, amar, cantar, jogar e sorrir: minha avó.
Eu fui uma verdadeira criança feliz com ela, ela me ensinou o que é um lar e como é estar nele. Ela me proporcionou um bem-estar no qual nunca tive ou terei novamente...
Porém, desde quando ela adoeceu, eu me fechei. Me fechei para o mundo e suas possibilidades. Me fechei para as pessoas... Tentei procurar o que havia de bom nelas, mas sempre me decepcionava com algo. Nada seria tão perfeito como era quando passava minhas noites de sábado com ela...
Ela, enfim, morreu e eu, até hoje, nunca superei sua morte. Minha melhor amiga de todas havia morrido e nunca mais me senti tão bem com uma pessoa quanto era com ela, nunca mais eu sorri e fiquei tão feliz como eu estava com ela, nunca mais...
Eu havia entrado num poço sem fundo, poço que nunca mais saí. Eu entrei em depressão, uma depressão tão profunda que nunca me recuperei dela. Tentei me desviar dela, porém isso só me fez ser uma pessoa que não sou: eu me fechei às pessoas que me queriam bem, me abri às que me queriam mal e me tornei uma adolescente rebelde por dentro e inconsequente nos atos.
Eu não queria ser assim, eu só queria voltar a ser feliz! Será que é pedir demais? Mas não... A vida me obrigou a esconder tudo o que sentia para não machucar mais ninguém com aquilo; a não ser eu mesma.
Minhas paixões de nada ajudaram. Minha amigas... por mais que eu tente ser verdadeira e espontânea com elas, nunca fui 100%.  Minhas alegrias e tristezas não tinham mais sentido! E eu me fechei para as pessoas que mais me querem bem e que minha avó me ensinou a prezar: minha família.
Tudo deu errado... Tudo mesmo! Enquanto eu tentei encontrar maneiras falhas a sair desta depressão, eu só via o escuro e mais uma tentativa dando errado. Eu me afundei em doenças por não estar bem em espírito. Eu mesma me afundei no desconhecido...
Eu podia não chorar todas as noites, mas, a cada noite, sua falta aumentava de tal forma que minha dor só abrandava quando eu sonhava estar diante dela ou quando lembrava a sua face me dando bênção ou tocando Ave Maria ou, simplesmente, me cobrindo nas noites frias e que me davam medo e me dando paz e sua proteção.
Ah... Vovó... O quanto que a senhora faz falta...!
Enfim, eu cheguei por um momento a pensar que nada mudaria, que eu nunca sairia desta depressão e que eu nunca, jamais, teria aquelas sensações de novo. Mas a vida me pregou peças, novamente.
Eu conheci alguém... Um alguém que mora longe, mas que se tornou tão importante para mim que, hoje, não sei viver sem o dito cujo. Um alguém que me faz sorrir, me deixa ser eu mesma, que me ama e que quer me proteger... Alguém que, sem querer, amo incondicionalmente, que me faz recuperar o tempo que perdi em lágrimas com sorrisos. Alguém que me deixa ser uma criança feliz e que não me recrimina, apenas se alegra com o jeito que eu havia perdido, mas que com ele recobrei. Alguém que me faz sorrir, ficar vermelha, me sentir bem, protegida e amada... Alguém que está me fazendo feliz e bem comigo mesma e com os outros. Alguém como a vovó... Pessoa que amei incondicionalmente e que só sou feliz ao lado dela.
As coisas podem me entristecer e me abalar, mas ao lado deste alguém... Eu não me importo com o que aconteceu, apenas sou feliz e me sinto bem!
A única coisa que me entristece e me afunda novamente é o medo. O medo de perder quem mais amo, quem me faz sentir bem... Enfim, perder o motivo de minha felicidade.
Sim, eu sei que é egoísmo... Na verdade, eu sempre fui egoísta! Mas eu não aguentava mais tanta dor, sofrimento, escuridão e depressão. Será que é pedir muito para as pessoas nos deixarem ser felizes com quem amamos? Será que é pedir muito a Deus? Não sei a resposta...
Só sei que o medo a cada dia mais cresce dentro de mim, me apavorando e enlouquecendo. Não quero perder nem você e nem esta sensação de novo... Só sei que meu coração só terá um pouco mais de paz quando estiver envolta aos seus braços, finalmente, protegida de tudo... Será que alguém pode me ajudar a conseguir isto?

Ana Luiza Pereira