Le storie novità per nostre amore (Escrito por Kaique Bruno Boga)


Aaahhh... a neve...
Flocos pequenos de água congelada que caem sobre a terra em determinadas regiões do planeta. Branca e fria como a minha pele, mas linda como a mulher que amo.
No começo era difícil explicar para as outras pessoas o que sentíamos  um pelo outro, mas nós fizemos isso juntos.
Anos se passaram e finalmente estamos juntos. Nos mudamos para uma bela casa nas planícies italianas, um pouco mais ao norte de Roma. Temos um lindo filho juntos chamado Leonel e um cachorro da raça Husky siberiano chamado Luke.
O inverno chega. 1ª vez que vimos a neve. 
Nosso filho acabara de chegar da escola avisando que as aulas foram suspensas por causa do inverno. Leonel estava cansado, brincara muito com seus amigos. Foi só deitar no sofá que ele dormiu.
Eu e Ana não tínhamos aproveitado ainda essa linda "terra" branca. Então deixamos um bilhete em cima da mesinha em frente ao sofá para que quando Leonel acordasse, saberes aonde seus pais foram.
Saímos.
Nunca tínhamos visto algo tão belo. Aquilo nos fez olharmos um nos olhos do outro. Lembrei de quando eu a vi pela 1ª vez e do quanto ela era perfeita.
Enquanto eu estava perdido em pensamentos, Ana abaixou-se, fez uma bola de neve e a atirou em mim.
A brincadeira começou... eram bolas de neve para tudo quanto é lado. Nós ríamos como duas crianças. Lembrei de quando tínhamos 16 anos e rimos das minhas histórias de quando era criança.
Deitamos num campo aberto, onde as árvores não nos atrapalhavam. Tínhamos perdido a noção do tempo. Havia escurecido já fazia algum tempo. 
Era a 1ª vez também que pudermos ver admirar as estrelas como nunca havíamos admirado no Brasil. Em meio aquelas eu finalmente achei a estrela que procurava há anos, quando eu e a Ana prometemos um ao outro "dedicar" o brilho dessa estrela ao brilho que encantou a cada um de nós com o nosso amor.
Já era tarde. Ana queria continuar comigo olhando as estrelas. Ela estava adorando que eu segurasse a sua mão e mostrasse as figuras que as estrelas formavam, mas Leonel nos esperava. Tínhamos saído no início da tarde, nosso filho deveria estar com fome e preocupado.
Quando chegamos em casa, deixamos Leonel comer o que ele quisesse. Ele quis comer bolacha.
Fomos colocá-lo para dormir. Ele nos pediu para contarmos uma história de ninar. Ana começou a contar o que tínhamos passado naquela tarde. Ele dormiu na parte onde fazia figuras com as estrelas.
Aquele dia jamais saiu de nossas memórias...

Kaique Bruno Boga


0 comentários:

Postar um comentário

Comenta, por favor!