Last Kiss


Lembro exatamente do dia em que minha vida desabou...
Nós íamos namorar na estrada, dentro do carro do meu pai. Não fomos muito longe, a estrada era perto.
Havia chovido muito naquele dia, a estrada estava molhada e nós em alta velocidade. O vento frio beijava nossos cabelos enquanto nos proporcionava a adrenalina de nosso amor.
Mal pude perceber, então, o carro enguiçado à nossa frente. Apenas via a luz de seus faróis se aproximando tão rápido que joguei o carro para direita, tentando freá-lo.
Os sons desta noite me atormentam em sonhos todas as noites; seus gritos abafados pelo canto dos pneus e, após, o estouro dos vidros e a lataria amassando.
Quando eu finalmente recobrei a consciência, a chuva caía novamente em meu rosto, tudo estava turvo, frio e molhado. Tudo estava confuso e havia muitas pessoas haviam vindo ver o que acontecia. Eu sangrava e não sabia o que acontecia.
Quando, olhei pro lado, eu a vi. Estirada no chão sangrando e tremendo. Aproximei-me.
- Estou com frio! – ela disse. – Me abrace meu amor! Só um pouco...
Eu a abracei forte, algo me dizia que ela iria embora... para sempre. A beijei tão intensamente... Mas enquanto a chuva molhava minhas lágrimas e roupas sujas de sangue, ela parou de tremer e, o frio que sentia virou o frio de sua pele. Eu a perdi ali, naquela noite chuvosa enquanto bombeiros vinham ver se eu estava bem.
Hoje, eu estou aqui, diante de seu caixão lembrando os sorrisos, beijos e abraços que passamos juntos e chorando a cada noite pela sua falta.
O que eu pensei enquanto agia desse jeito? Onde foi parar meu amor? O Senhor a tirou de mim!... Ou seria eu?
Ela foi pro céu, tenho certeza disso... E, enquanto seu caixão era coberto de terra molhada, prometi ser bonzinho para, enfim, reencontrar meu amor do outro lado.

Ana Luiza Pereira


Inspirado na música de Pearl Jam - Last Kiss.




0 comentários:

Postar um comentário

Comenta, por favor!