Carta de suicídio


“É difícil escrever o que sinto agora nesta carta. Aliás, tudo entre nós acabou e nem sei o porquê que escrevo a mesma. Mas admito; não queria que acabasse desse jeito e, imagino, que você também não.
Tudo entre nós foi mágico e esplendoroso. Foi único e intenso, bom enquanto durou. Mas as pessoas se tornam previsíveis quando amam e, eu, acho que eu não me tornei.
Talvez seja melhor assim; nós dois separados seguindo vidas e rumos diferentes. Mas o que sinto por você me mata intensamente... E, eu prefiro morrer ao rastejar com esta carne pútrida sangrando pelos vales espinhosos desta terra.
Meu coração dói. Uma dor que eu conheço, mas nunca foi tão intensa quanto é quando eu te perdi. Minhas lágrimas não secam e afogam meu travesseiro enquanto tento recuperar o sono perdido. Tudo o que tento é em vão. Você não sai da minha cabeça e não sei se um dia sairá.
Eu, sinceramente, não sei o que é pior: ser altruísta e sofrer ao te deixar viver feliz ou ser egoísta e ter você para que me faça feliz, mesmo que você sofra. Não vejo opção... Mal vejo a saída para escapar deste inferno de depressão! Só sei que chegou a hora que tanto temi...
É difícil, eu sei, dizer adeus a quem se ama. Mas, às vezes, esse adeus se torna necessário para a sua felicidade... Mesmo que essa felicidade eu só possa admirá-la em seu rosto a milhas de distância.

Adeus, meu amor. Até uma próxima vida, talvez...

Ass.: Seu mais recente amor.

PS: Sinto muito pelo o que fiz...”

Ana Luiza Pereira



3 comentários:

Suicídio - O último manifesto. disse...

Olá... espero que se trate de ficção, mas se não... me procure. carlafreitas.reis@hotmail.com

ALP disse...

Claro que é ficção!^^' Tudo aqui é obra de sonhos/imaginação! (:
Não se preocupe! :D

Gabii ' disse...

Ninha, este texto me lembrou...
Ficou perfeito ! Sério msm ! Acho q vc relatou mt bem o q ocorre com uma determinada pessoa aí... Enfim, amei o texto *-*

Postar um comentário

Comenta, por favor!