A caloura e o veterano


           Lembro-me como se fosse hoje. O vi na entrada do colégio dando trote em calouros como eu.
          Ele era lindo, de uma forma que só eu conseguia ver tal beleza e poucas garotas como eu conseguiam ver também.
          Me aproximei. Ele que me dera o 1º trote...
        Os dias naquela nova escola se passaram, nós conversávamos sempre. Ele era do 3º ano e tinha um monte de histórias interessantes a contar. Meus novos amigos viraram amigos dele e, logo fui descobrindo, havia mais beleza nele do que apenas sua aparência e experiência, mas ele era inteligente, engraçado, fofo... Ele era perfeito! E eu estava cada vez mais me apaixonando por ele.
       Pegávamos sempre o mesmo ônibus para ir para casa, sempre conversando e rindo. Logo, meus amigos descobriram minha paixão secreta por ele.
        Tentaram de todas as formas, nos juntarem. Eu? Sempre empacava. Deixavam sempre nós sozinhos, mas eu, envergonhada, não conseguia me expressar direito perto dele, sempre deixando um silêncio vago que me corroía. E já estava na cara o que sentia, será que ele era o único que não percebia? Ou preferia não contar e deixar que eu me expusesse?
         Até que ele falou. Sua voz me trazia paz... E ele falava de seus sentimentos a mim.
         Será que ele só me vê como uma amiga?
       Entristeci. Mas quem era eu sem encarar tal realidade? Amo-o ao ponto de ser apenas sua amiga, desde que eu o veja sorrir e ser feliz.
         “Eu gosto de você” – disse ele me resgatando da rua sem saída de meus pensamentos. Ainda sim, me desnorteei. E agora? O que eu responderia? A verdade, respondia meus pensamentos.
Respondi. Na minha voz falha e gaga transparecia tudo o que senti e que sentia por ele.
O ano passou. Seu amor por mim esfriou, acho. Mas eu ainda o amo como da primeira vez que o vi. Mas de que adianta? Ele sairá da escola, encontrará garotas mais lindas e mais interessantes que eu e se esquecerá da caloura que ama ele como é.
É o fim, a despedida. Você irá vir visitar o colégio, mas se esquecerá dos nossos momentos, nossos beijos e do meu sentimento. E com lágrimas nos olhos irei te falar: Não se esqueça de mim, não se esqueça do que passamos... Eu te amo!


Ana Luiza Pereira


Inspirado numa história real de um amigo meu.

2 comentários:

David disse...

Adorei a declaração do final !
Amei, mto lindo **-**

celi disse...

muito lindo. O amor é assim, as vezes pra fazer o outro feliz temos que deixá-lo partir e ser capazes de sorrir vendo que ele está feliz mesmo nos braços de outra pessoa.

Postar um comentário

Comenta, por favor!