Eles não sabem o que fazem


Penso a cada dia... Reflito a cada meu momento egoísta, mas nunca tenho certeza de nada. Penso sobre meus atos, sobre minhas palavras e suas consequêcias (boas e ruins), mas quanto mais eu penso, menos tenho certeza do que se o que fiz “é o certo” ou “se segui meu coração”.

A ciência diz querer saber todas as respostas sobre a vida. Mas nem tudo nela é certo o bastante para que acreditemos em algo que nos sustente e não nos magoe.

Somos humanos egocêntricos. E, este egocentrismo, nos faz errar, cair, sangrar e ferir nosso próximo.

Somos pessoas confusas. Pessoas que não sabem definir quem somos nós e, busca em livros, uma definição que acredita ser certa sobre o que quer, quem sou e seus gostos.

Somos um amontoado de partículas em movimento... Mas isso não nos define por dentro.

Somos alguém que pode fazer a diferença ou ninguém? Somos um ou um bilhão?

Nada sabemos. Nada somos.

Somos errantes, incosenquentes. Nossos atos podem ter sido milimetricamente planejado. Mas sempre há algum imprevisto, algo fora do plano para que nos faça sentir raiva, tristeza ou apenas nos fazer refletir no que deu errado.

“Os pensamentos nos diferem dos outros animais.” – é o que ciência diz. Discordo. As consequências de nossos atos inconseqüentes nos diferem dos outros animais.

Podemos pensar, podemos agir... Mas não podemos fugir das consequências.

Somos inconsequentes, não sabemos o que fazemos, mesmo assim vivemos para que a ciência ou alguém responda as perguntas egoístas de nossa vida pacata e inútil.

Como eu sempre digo: “Sem plena consciência do que faço, sigo meu rumo em busca do que fazer (para apagar as conseqüências).

Ana Luiza Pereira


Inspirado no evangelho, na música Nada Sei de Kid Abelha e na minha vida.

1 comentários:

₣غĽΐρغ Ήغηяΐ XD disse...

Eu imagino os meus atos como uma pedra lançada na agua... as ondas que ela forma serão as consequências, e cedo ou tarde as ondas voltam pra nós, entao nao importa o q vc faça, não há como fugir do q vc faz. Parabéns pelo blog! =D

Postar um comentário

Comenta, por favor!