Carta aos visitantes



Senhores visitantes,

Venho aqui dizer-lhes que uma nova terra foi descoberta. Uma terra paradisíaca; gramíneas extensas e árvores frutíferas: uma mistura do interior dos países de nossos antepassados europeus.
Um Jardim do Éden da nossa nova terra.
Animais meio adestrados, meio selvagens. Animais que perambulam pelos brados verdes campos desta terra inovadora. Animais com donos. Donos que moram em barracos embora bonitos caindo aos pedaços vivendo, primitivos, em estradas de terras batidas.
Uma terra magnífica, de sonhos que virarão realidade. Sonhos comuns de gente comum. De gente como a gente, porém sem muitas oportunidades. Seu sonho: educação.
E esta bandeira foi fincada entre as gramíneas molhadas pelo orvalho, em meio às madrugadas frias e de garoa desta terra.
A princípio, o sonho de educação à juventude era para poucos. Um grupo reservado escolhido de renda alta; um grupo de garotas. Garotas treinadas para serem perfeitas esposas; submissas e prestativas.
Após algum tempo, uma mudança grandiosa na educação acontecera. Um colégio. Mais um colégio federativo, mas o primeiro desta terra. Uma verdadeira evolução à educação juvenil dali. Um colégio dependente da universidade mais cobiçada da época: a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Um colégio para todos: homens e mulheres, ricos e pobres, mas que tenham uma inteligência capaz de passar por um processo seletivo.
Mas, CTUR (Colégio Técnico da Universidade Rural) parece um sonho...
Liberdade, paraíso, educação – sinônimos para um colégio. Sinônimos de CTUR.

Esperamos vocês aqui.
Ansiosamente,



“CTURianos”




Trabalho de literatura para a 5ª Semana Acadêmica do CTUR (08/2010) - homenagem pelos seus 60 anos de fundação - feito por: ANA LUIZA PEREIRA.
Fotos: a frente do CTUR (tirado por Ana Luiza) e Ana Luiza Pereira no CTUR.

0 comentários:

Postar um comentário

Comenta, por favor!