Boa Sorte


Queria medir minha sorte com a fita métrica, só para ver se eu realmente tenho alguma ou se tenho algum resquício da que tive.
Amuletos, suposições... Superstição.
Sorte não se ganha, não é um presente dado por Deus ou qualquer outro amigo, não é aquele trevo de quatro folhas, que “por sorte”, achaste e arrancaste...
Sorte simplesmente não existe...
Sorte é uma grande crença que a humanidade desde os primórdios cultiva.
A sorte se trilha, se conquista. Sua vida não está nas mãos da bendita sorte, você não é a pessoa mais azarada do mundo, só precisa refletir e fazer as escolhas certas que a “sorte” estará ao seu lado.
Sorte não é um tesouro que posso guardar em meus bolsos. Enfim, sorte não é muitas e muitas coisas. Sorte é apenas sorte! Apenas mais uma de tantas outras crenças inacreditáveis do homem.
Pela sorte não ser tudo o que achamos que ela é, é que eu, descrendo da sorte, apenas vivo... E, fiz uma promessa a mim mesma; parar de acreditar nesta crença pagã humana inacreditável sem o mínimo de razão e trilhar eu mesma meus caminhos sem ajuda desta “sorte” que não sei nem o que é.

Ana Luiza Pereira


0 comentários:

Postar um comentário

Comenta, por favor!