Um monstro disfarçado


Uma vez eu tentei ter todas as respostas,
Consegui.
Chorei por saber verdades;
Eu sabia demais.

Mas os anos se passaram
E as respostas para as minhas perguntas mudaram...
Procuro incessantemente cada uma dessas respostas
Se cair, levanto; se não conseguir na 1ª tentativa, tento de novo;
Mas se alguém se meter eu meu caminho, eu a machuco.

Eu não quero isso;
Eu só quero procurar a sabedoria.
Eu não quero isso;
Eu só quero conhecer a mim mesma.
Eu não quero isso;
Eu só quero saber como é o universo...

Mas para isso eu preciso reconhecer quem eu sou:
UM MONSTRO.

Frio, sem sentimentos,
Que não sabe o que é amor
Porque não tem coração.

Um monstro que ataca quem mesmo ama
E os mata
Dizendo que só vai encontrá-los quando controlar o inferno.

Um monstro...
Que tem que se isolar para não machucar mais ninguém
Mesmo que para isso eu desista de minhas respostas.

Ana Luiza Pereira


Inspirado em Memórias de um Monstro (História de Ana Luiza Pereira).

0 comentários:

Postar um comentário

Comenta, por favor!